Policiais da UPP Coroa/Fallet comemoram dois anos de pacificação

Para o 1° tenente Henrique Silva, subcomandante operacional da UPP, ainda ocorrem apreensões de drogas na comunidade, mas a quantidade tem sido cada vez menor, o que é prova do êxito do trabalho
 

Nesta segunda-feira (25/2) foi de comemoração para os policiais que atuam na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) dos morros da Coroa/Fallet Fogueteiro, na região do Catumbi. Eles participaram de uma solenidade militar de celebração aos dois anos de UPP no local, que conta com 265 policiais de seu efetivo próprio e mais 80 de reforço, e atendem a cerca de 30 mil moradores. O evento, realizado ao lado da sede da unidade, contou com a participação da Banda da PM e do capelão da corporação. Na celebração, também foram premiados os policiais que mais se destacaram, tanto em tarefas operacionais quanto administrativas, em janeiro e fevereiro. A iniciativa foi do comandante da UPP, major Renato Senna, que foi representado pelo 1° tenente Henrique Silva, subcomandante operacional da unidade.

 

Segundo a major Carla dos Anjos, gestora comunitária lotada na Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP), que representou o comandante das UPPs, coronel Paulo Henrique de Moraes, durante os cafés da manhã mensais que são realizados entre membros da UPP e moradores das comunidades, foi reduzido a quase zero o número de queixas relativas à segurança. Agora, o que as pessoas mais pedem são serviços essenciais, como água, luz, saneamento básico, além de empregos e projetos sociais.

 

– Não existe área totalmente pacificada. Todas estão em processo de pacificação. A UPP Coroa/Fallet Fogueteiro já é um sucesso, mas vai se tornar bem melhor no futuro. Uma das nossas maiores conquistas aqui é a adesão das crianças: elas nos procuram mais até por serem mais receptivas. Já o nosso maior desafio é conseguir parceiros para oferecer outros serviços – disse a major.

 

Para o 1° tenente Henrique Silva, subcomandante operacional da UPP, ainda ocorrem apreensões de drogas na comunidade, mas a quantidade tem sido cada vez menor, o que é prova do êxito do trabalho. Outro indicativo de melhora, segundo o tenente, é o fato de que há oito meses não são registradas ocorrências com auto de resistência ou morte de policiais ou de moradores.

 

– Com o passar do tempo, as pessoas vão percebendo que a UPP é um marco para que outros serviços entrem e possam melhorar a qualidade de vida dos moradores. Além disso, o processo de pacificação também é voltado para o entorno das comunidades: os bairros de Santa Teresa, Grande Tijuca e Rio Comprido. Todos os habitantes de áreas adjacentes podem vivenciar as melhorias na segurança pública – afirmou Silva.

 

Governo do Rio

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.