Rio é campeão brasileiro na geração de empregos na Construção Civil

Obras de infraestrutura do Estado ajudam a aquecer o mercado de trabalho
 

O Estado do Rio foi o campeão brasileiro na geração de empregos na área da Construção Civil em 2012. O saldo entre contratações e demissões foi de 32.956, contra 24.417 em São Paulo, o segundo colocado. Os números foram divulgados pelo Sinduscon-Rio (Sindicato da Indústria da Construção Civil), baseados no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério do Trabalho e Emprego.

No total acumulado dos 12 meses, a capital fluminense contabilizou 18.156 novos postos de trabalho, acima dos 14.915 registrados em 2011. O resultado foi positivo em toda a Região Metropolitana, em cidades como Duque de Caxias, Niterói e São Gonçalo, onde o ano de 2012 fechou com a geração de 30.819 empregos, resultado superior ao de 2011, com 23.151.

– O Estado do Rio vive um momento ímpar em sua história, com a revitalização de várias áreas. São recursos que passam desde a malha viária, metroviária e portuária até as próprias instalações para os Jogos Olímpicos. Isso influencia e vai influenciar ainda mais nos próximos anos a cadeia da Construção Civil fluminense – afirmou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Julio Bueno.

 

Na capital, obras realizadas por órgãos do Estado, como a do Maracanã, da Cidade da Polícia, na Zona Norte, e do Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), na Praça XI, ajudam a aquecer o setor. Cerca de 5,5 mil pessoas trabalham na modernização do estádio. A Cidade da Polícia conta com aproximadamente 180 trabalhadores e o CICC, 200. A Linha 4 do Metrô também inclui a lista de geradores de emprego com 3.500 operários, distribuídos nos trechos da Zona Sul e da Zona Oeste.

– O Rio de Janeiro está passando por uma fase muito importante, onde diversas intervenções urbanísticas estão sendo executadas, visando o crescimento do estado e bem estar de toda a população. Esse avanço impacta em vários setores e contribui para o aumento da geração de renda e emprego – afirmou o presidente da Emop (Empresa de Obras Públicas do Rio de Janeiro), Ícaro Moreno.

 

Governo do Rio

0 comentários