Ceasa combate o uso indiscriminado de agrotóxicos

Central inicia monitoramento da qualidade dos produtos comercializados
 

Preocupada com a qualidade dos alimentos comercializados em seus boxes, a Central de Abastecimento do Estado do Rio de Janeiro (Ceasa-RJ) iniciou ontem a coleta de amostras de produtos vegetais para análise de resíduos de agrotóxicos. A unidade Grande Rio, em Irajá, foi a escolhida para o início do trabalho, com dez amostras de tomates, sendo cinco produzidos no Estado do Rio e cinco em outros estados.

 

O trabalho é resultado da parceria da Ceasa com a subsecretaria de Vigilância Sanitária da Prefeitura do Rio e o Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde, da Fiocruz. O objetivo é monitorar a qualidade do alimento que é comercializado e colaborar para o trabalho de rastreabilidade que está sendo implantado na empresa. As coletas serão realizadas até o fim do mês. Os resultados serão apresentados 40 dias após a última entrega da amostra.

 

O presidente da Ceasa, Leonardo Brandão, destacou que é dever do órgão facilitar o contato dos técnicos da vigilância com produtores e comerciantes.

 

– Esse trabalho já estava sendo construído com o Ministério Público, com a Fiocruz, e outros órgãos. Desde que assumimos a gestão da empresa, procuramos desenvolver atividades voltadas a garantir que os alimentos sejam oferecidos em padrões de excelência. O Brasil é o maior consumidor de agrotóxicos do mundo. Esse dado é alarmante. A Ceasa deseja construir um sistema integrado de controle de venda, transporte e distribuição, além da utilização de agrotóxicos pelos trabalhadores rurais. Com isso, podemos assegurar um alimento de melhor qualidade na mesa do consumidor – disse Brandão.

 

Ações estimulam melhorias no uso de substâncias tóxicas Idealizado pelo Ministério Público do Estado do Rio, o Fórum de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos, que estimula melhorias no uso dessas substâncias, tem a Ceasa é sóciafundadora. Em outra ação, a Central de Abastecimento, em parceria com a Associação dos Revendedores de Agrotóxicos da Região Serrana Fluminense, inaugurou um posto de recebimento desse material na unidade Noroeste Fluminense, no município de Itaocara.

0 comentários