Com proposta de teatro em casa, o Home Theatre acontece de 19 a 27 de março no Rio

Com entrada gratuita, a primeira edição do Festival Internacional de Cenas em Casa terá premiação de R$ 5 mil para as melhores cena e atuação
 

Teatro no aconchego do lar. Para quem mora no Rio, a proposta encurta distâncias entre público, autor e elenco. Em sua primeira edição, o Home Theatre – Festival Internacional de Cenas em Casa, que acontece de 19 a 27 de março, vai levar o teatro para dentro de 50 casas de moradores de 18 bairros da cidade do Rio de Janeiro, como, Santa Cruz, Providência, Maré e Pavuna, entre outros, que vão receber histórias, cenas, atores e atrizes de todo o país, que se inscreveram para o festival e foram escolhidos a partir de uma seleção. Toda programação é gratuita.

 

 

Sobre o objetivo do festival, o escritor, diretor teatral e cineasta Marcus Vinicius Faustini, criador do projeto, ressalta: “Queremos levantar discussão sobre o que é teatro. Se é levar as pessoas às casas de teatro ou se é inventar uma forma de ver teatro junto com as pessoas”.

 

 

Em cada uma dessas 50 “casas-espetáculo” a cena apresentada será de no máximo 20 minutos, atingindo três plateias distintas: convidados do morador, convidados da produção e público espontâneo, que será escolhido por meio de sorteio realizado no site do festival (www.festivalhometheatre.com.br). Ao fim de cada apresentação, serão destinados mais 20 minutos de conversa, entre elenco e espectadores.

 

 

Das 23 cenas desta ação de caráter itinerante 21 vão compor a Mostra Competitiva, que acontecerá no Instituto do Ator, na Lapa, que servirá como uma “casa-sede”. Uma premiação de R$ 5 mil para a melhor cena e para melhor atuação será oferecida. Quem quiser conferir a Mostra Competitiva terá que pegar senha uma hora antes na entrada do Instituto, nos dias das apresentações.

 

 

O Festival também conta com cenas hors concours. A abertura do evento, no dia 19, será com a apresentação de “Sofia e seus doze analistas”, inspirada no livro “Felicidade Clandestina”, de Clarice Lispector, que será interpretada pela atriz Valquiria Oliveira, e que será encenada na casa da diretora da cena, Celina Sodré. Já “Pequenos e grandes gestos de despedidas”, é uma cena síntese do conceito do festival. A atriz convidada Georgiana Góes com colaboração – e direção – do Faustini apresenta uma cena que mistura realidade e ficção, e que será encenada por ela para um espectador de cada vez, durante algumas horas.

 

 

Além da Mostra Homenagem, na qual o público poderá conferir as cenas “O caso da vara”, da Cia. do Invisível, do Rio de Janeiro, baseada no texto de Machado de Assis. A Cia. do Invisível, de Santa Cruz, criada pelo diretor Alexandre Damascena é conhecida por realizar há anos cenas de contos de Machado de Assis nas casas dos moradores da região e a partir desse experiência que surgiu a inspiração para a criação do Festival Home Theatre e “Solano Trindade e suas negras poesias”, da Cia. Capulanas, de São Paulo, que retrata a força da mulher negra. Para todas as apresentações hors concours também haverá sorteio de ingressos pelo site.

 

 

Fechando a programação, no dia 27, serão apresentadas 18 cenas que são resultado do processo de pesquisa, que 18 atores selecionados pelo Festival produziram a partir de histórias de jovens moradores do Borel e da Cidade de Deus. Nove cenas serão apresentadas em cada comunidade. Uma parte dos atores contará com a direção do inglês Kerry Michael, diretor do Theatre Royal Stratford East e a outra parte com a direção de Susanna Kruger.

 

 

O Home Theatre – Festival Internacional de Cenas em Casa marca a volta de Faustini às artes cênicas. Longe do teatro desde 2007, quando dirigiu “O inimigo do povo”, de Henrik Ibsen, ele continuou seu trabalho na cultura com projetos como a Escola Livre de Cinema de Nova Iguaçu, a primeira do gênero totalmente gratuita da Baixada Fluminense; a Escola Livre de Teatro, um trabalho de formação destinado a jovens artistas da Zona Oeste, e a Agência de Redes para Juventude, um programa proporciona aos jovens das comunidades cariocas pacificadas conexões e ferramentas para que possam atuar como agentes transformadores, por meio da criação de um projeto que beneficie a região em que vive. 

 

 

O diretor queria que seu retorno ao teatro fosse com um projeto capaz de unir o estímulo à criação com a intervenção de território, dois fatores recorrentes em seus trabalhos. “Histórias de vida como elementos de cena e a cidade como palco, o Home Theatre é um trabalho de intervenção da estética nos territórios”, explica.

 

 

PROGRAMAÇÃO:

ABERTURA 

19 de março (terça-feira)

Cena: Sofia e seus doze analistas (RJ)
Duração: 20 min
Autor texto: Clarice Lispector, com dramaturgia de Celina Sodré e Valquíria Oliveira
Ator: Valquiria Oliveira
Diretor: Celina Sodré
Sinopse resumida: A partir do conto “Os Desastres de Sofia”, de Clarice Lispector, a cena narra a paixão de uma menina, de nove anos, por seu professor. 
Horário: 20h
Local: Laranjeiras

MOSTRA CENAS EM CASAS

Mostra de cenas e performances de grupos e atores de diversos estados do país, em casas de diferentes territórios da cidade do Rio de Janeiro, seguido de conversa e jantar. 

20 de março (quarta-feira):

Cena: A Cena (SP)
Duração: 20 min
Autor texto: Paloma Vidal
Ator: Fernanda Sanches
Diretor: Fernanda Sanches
Sinopse resumida: Uma jovem mulher recria, na beira do cais, a cena de despedida que dá sentido a sua vivência de desamparo.
Horário: 18h
Local: Santa Cruz 

Cena: Amor Próprio (RJ) 
Duração: 20 min
Autor texto: Leandro Muniz
Atriz: Cristina Fagundes
Diretor: Leandro Muniz
Sinopse resumida: A cena se inicia na cerimonia de casamento de Marina. Vemos também sua lua de mel apaixonada, seus planos e expectativas com a nova rotina de recém casada, consigo mesma. 
Horário: 19h30
Local: Santa Cruz 

Cena: Querida Mamãe (RJ)
Duração: 15 min
Autor texto: Bertolt Brecht
Ator: Deusa Leal
Diretor: Raffael Araujo e Valmir Aleixo
Violão: Nane Motta
Sinopse resumida: Fragmentos do texto “A Mãe” A vida da revolucionária Pelagea Wlassowa (segundo o romance de Máximo Gorki). Escrito em 1931. Uma mulher reflete sobre trabalho, filho e privações, enquanto costura em sua casa, num conjunto habitacional, na zona oeste da cidade.
Horário: 19h30
Local: Santa Cruz 

Cena: Acorda Amor (RJ) 
Duração: 20 min
Autor texto: Marcos Camelo e Florencia Santangelo
Ator: Florencia Santangelo 
Diretor: Marcos Camelo
Sinopse resumida: Um conto de fadas que conforta o coração, uma atriz porque é o suficiente, vinte minutos porque é um desafio para contar uma eternidade. 
Horário: 20h 
Local: Santa Cruz 

Cena: Como a chuva nos faz falta (Cabo Frio – RJ)
Duração: 15 min
Autor texto: Danilo Marks
Atriz: Amanda Leal
Diretora: Marina Gil
Sinopse resumida: Como a chuva nos faz falta questiona o que é, como é e onde está o amor. O toque, o choro, o cheiro e a falta do ser humano após a decisão da separação.
Horário: 19h30
Local: Vidigal 

Cena: O Casaco (RJ)
Duração: 15 min 
Autor texto: Vida Oliveira
Ator: Maria Bela
Diretor: Vida Oliveira
Sinopse resumida: O espetáculo conta a história de uma mulher tipicamente contemporânea e independente, que, sentindo-se pressionada por ela mesma e pela sociedade por não ter um grande amor, decide ir em busca dele, fazendo loucuras incríveis, que passam desde a tentar matar-se com pastilhas de hortelã a apaixonar-se por um completo desconhecido e nunca visto. Seguindo os rastros de um Casaco.
Horário: 19h30
Local: Catete 

Cena: Como Matar Baratas (RJ)
Duração: 20 min
Autor texto: Livre adaptação de Julliano Mendes, baseado no conto “A quinta história”, de Clarice Lispector.
Ator: Nadja Dulci
Diretor: Geuder Martins
Sinopse resumida: Uma mulher seguia sua vida em paz até começar a receber a visita de baratas no seu apartamento. Diante das angústias geradas por esse convívio ela vai para o campo minado, sua própria cozinha, preparar a receita de veneno caseiro que irá exterminá-las de uma vez por todas.
Horário: 19h30
Local: Laranjeiras 

Cena: Mc K_Bela (RJ) 
Duração: 20 min
Autor texto: Yasmin Thainá
Ator: Veruska Thaylla
Diretor: Anderson Barnabé
Sinopse resumida: Texto de Yasmin Thayná selecionado e inserido no livro da FLUPP 2012. Trata da dificuldade da aceitação, conflitos existenciais, convívio social e reviravolta na vida de uma jovem negra em função dos cabelos crespos.
Horário: 22h
Local: Lagoa

21 de março (quinta-feira):

Cena: A vida das palavras de Stela do Patrocínio (RJ)
Duração: 20 min
Autor texto: Viviane Mosé
Ator: Raquel Rocha
Diretor: Haroldo Rego
Sinopse resumida: Stela do Patrocínio, nascida a 9 de janeiro de 1941, interna da colônia Juliano Moreira por 30 anos, aos 51 após ter a perna amputada, morreu de infecção generalizada. Durante a reforma manicomial comandada pela Dra. Nise da Silveira sua fala foi gravada e chama atenção pela capacidade de transformar o discurso cotidiano, “sujo”, em elaboradas construções de linguagem, sua fala dissolve a sutil fronteira entre fato e invenção, vida e arte, e nos remete a um universo estético permeado de uma triste beleza. Surge, então, uma inesperada forma de poesia.
Horário: 19h30
Local: Providência 

Cena: Cárcere de Maria Aragão (São Luiz – MA)
Duração: 20 min 
Autor texto: Gisele Vasconcelos e Maria Ethel
Ator: Maria Ethel
Diretor: Gisele Vasconcelos
Sinopse resumida: Maria Ethel apresenta neste solo a vida da maranhense Maria José Camargo Aragão, sua luta, por uma sociedade justa e igualitária, a entrega apaixonada às causas sociais, que a levaram à prisão e tortura por cinco vezes. O solo mostra Maria Aragão como símbolo de luta e lição de vida.
Horário: 19h30
Local: Providência 

Cena: Transviado (Pacatuba – CE)
Duração: 20 min
Autor texto: Rodrigo Ferrera
Ator: Rodrigo Ferrera
Diretor: Jean Carlos Barbosa
Sinopse resumida: Transviado é o grito indignado de um ator em auto-descoberta. É a tentativa quase esquizofrênica de entender onde moram as sutilezas do gênero dentro do ser humano. Através da imagem do transgênero, tão marginalizado em nossa sociedade, a cena propõe um reflexão muito verdadeira: o que existe por debaixo das imagens pré-formuladas dos transexuais? Será que no final das contas, essa procura por si próprio não é vivida por todos nós?
Horário: 19h30
Local: Centro 

Cena: Trauma Cha Cha Cha – Sonorização Hipnótica para objetos desaparecidos (Bauru – SP)
Duração: 20 min
Concepção: Limerson Morales
Ator: Limerson Morales
Diretor: Limerson Morales
Sinopse resumida: Uma voz se manifesta a partir de algo em torno dela. Alguém olha, move o pescoço e guizalha. Pios e cios de revolução sustentam contradições envenenando raízes com variáveis. Eu vou tirar isso tudo das minhas costas evocando para tanto o rebolado mais seminal.
Horário: 19h30 
Local: Tijuca 

Cena: Mazela (Salvador – BA) 
Duração: 20 min
Autor texto: Baseado no conto “Da Paz”, de Marcelino Freire
Ator: Leandro Santolli
Diretor: Leandro Santolli
Sinopse resumida: Mazela deixa em evidência uma temática muito atual em nossa sociedade moderna e violenta, onde a paz é personificada e tornada inimiga, além de causadora de todo o mal da humanidade. A paz, enquanto possibilidade de restauração utópica da sociedade é desconstruída, vira artigo de luxo inacessível ao miserável que mora no morro e que a vê como mais uma arma do poder para frear seus desejos de vingança e de rompimento da ordem (caótica) estabelecida.
Horário: 19h30
Local: Maré 

Cena: Estátua (RJ)
Duração: 11 min
Autor texto: Fernanda Marques
Atriz: Fernanda Marques
Diretor: Rafael Machado
Sinopse resumida: A menina recria brincadeiras que vivia junto a sua irmã mais velha. A casa agora silenciosa é preenchida apenas por lembranças. Segredos de família são revelados e as brincadeiras ingênuas não se parecem mais como antigamente.
Horário: 19h30
Local: Maré 

Cena: Curte ou Compartilha? (RJ) 
Duração: 20 min
Autor texto: Camila Gamboa e Daivson Garcia a partir de adágios e anedotas de domínio público
Ator: Camila Gamboa e Daivson Garcia
Diretor: Veríssimo Jr
Sinopse resumida: Em lugar de uma representação ficcional tradicional com personagens, a cena se baseia num jogo entre dois atores que se enfrentam numa batalha de mensagens via Facebook. A plateia é convidada a participar do jogo dizendo, através de tabuletas, se curte, compartilha ou curte e compartilha as mensagens.
Horário: 19h30
Local: Maré 

Cena: Sala de Bate-papo (RJ)
Duração: 20 min
Autor texto: Angela Weiner
Ator: Ayres Filho e Francisco Salgado
Diretor: Nilton Marques
Sinopse resumida: Sílvio e Neto, após flertarem em uma sala de bate papo, resolvem materializar os desejos e se encontram na casa de um deles.A partir desse encontro no plano da realidade, descobrem-se frustrados em suas expectativas.
Horário: 19h30
Local: Maré

22 de março (sexta-feira):

Cena: Ensaio sobre um Brasil pequeno (Porto Alegre – RS)
Duração: 15 min
Autor texto: Genifer Gerhardt
Ator: Genifer Gerhardt
Diretor: Genifer Gerhardt
Sinopse resumida: Tendo uma viagem por povoados de até seis mil habitantes do Nordeste ao Sul do Brasil como pano de fundo para contar histórias de miudezas, o ensaio apresenta personagens reais conhecidas por Genifer neste andar. Bonecos articulados em miniatura a brotar em roupas e delicadezas. 
Horário: 19h30
Local: Pavuna 

Cena: Nilza (RJ)
Duração: 20 min 
Autor texto: Marina Mercier em colaboração com Ricardo Libertini e Vanessa Silveira
Ator: Marina Mercier
Diretor: Ricardo Libertini
Sinopse resumida: Marina, a partir de um vídeo caseiro de sua festa de aniversário gravado em 1991, compartilha memórias de sua avó, Nilza. 
Horário: 19h30
Local: Pavuna 

Cena: Onde está Lulú (São Luiz – MA)
Duração: 20 min
Autor texto: Texto adaptado de Bernad Shaw e Frederic Wedekind
Ator: Lígia D’ Cruz
Diretor: Luiz Pazzini
Sinopse resumida: O texto é uma colagem dramatúrgica de obras referentes ao mito de Galatéia. São diálogos transformados em monólogos que correspondem à memória da trajetória percorrida pela personagem Lulu desde a infância, passando pela puberdade até chegar a maturidade tornando-se uma grande artista. 
Horário: 19h30
Local: Pavuna 

Cena: O Faxineiro (SP) 
Duração: 20 min
Autor texto: Roberto Boreinsten
Ator: Roberto Boreinsten
Diretor: Roberto Boreinsten e Francisco Carlos
Sinopse resumida: Um local. Um faxineiro. À medida que o faxineiro vai limpando o local de trabalho (uma casa, no caso do Festival Home Theatre) seus sonhos, aspirações e visões de mundo vão sendo revelados.
Horário: 19h30
Local: Pavuna

Cena: Benedita (Salvador – BA)
Duração: 20 min
Autor texto: Bruno de Sousa
Ator: Bruno de Sousa
Diretor: Bruno de Sousa
Sinopse resumida: Benedita é uma velha mulher contadora de histórias. Distrai-se com cantigas do passado e recria um universo particular para conviver com sua solidão. Lavadeira-curandeira-bruxa-feiticeira, em seu limite de vida, tece destinos através dos casos que conta relatando uma história arquetípica e mitológica.
Horário: 22h
Local: Flamengo 

Cena: Sarau Sanitário (RJ)
Duração: 20 min
Autor texto: Marina Mara
Ator: Marina Mara
Diretor: Marina Mara
Sinopse resumida: É uma apresentação que mescla conversa de banheiro feminino com declamação de poesia sobre temas da vida contemporânea. Escrito e encenado pela poeta Marina Mara, o Sarau Sanitário também presenteará com uma intervenção poética o banheiro da casa-teatro. 
Horário: 18h 
Local: Urca 

Cena: Meu corpo noite adentro (SP)
Duração: 15 min
Autor texto: William da Silva e Rafael Carvalho
Ator: Rafael Carvalho
Diretor: Danilo Roxette e Eliane Rocha
Sinopse resumida: Uma travesti até às seis. Um corpo estranho, que não consegue registro no universo simbólico, narra suas façanhas sobre o salto plataforma percorrendo as ruas atrás de sexo para pagar débitos, satisfazer impulsos, alargar fetiches, arriscar a pele.
Horário: 20h 
Local: Humaitá 

MOSTRA COMPETITIVA

Concorrem a dois prêmios de R$5 mil, todas as cenas inscritas na mostra “Cenas em casas”, com exceção das dramaturgias convidadas: “Sala de bate-papo” e “Curte ou compartilha”. 

23 de março (sábado), das 16h às 22h: 12 cenas
24 de março (domingo), das 16h às 21h: 9 cenas
Grátis. Aberto ao público, com distribuição de senha 1h antes. 
Local: Instituto do Ator – Rua da Lapa, 161 – Lapa

MOSTRA HOMENAGEM

Essa mostra é um programa único que reúne cenas da Cia do Invisível (RJ) e Cia Capulanas (São Paulo – SP), como homenageadas do festival, por já desenvolverem pesquisas e ações de teatro em casa.

23 de março (sábado), às 19h
24 de março (domingo), às 19h
Local: Horto 

Cena: Solano Trindade e suas negras poesias / Cia Capulanas (SP) 
Duração: 30 min
Autor texto: Poesias de Solano Trindade, Elizandra Souza e Capulanas
Ator: Adriana Paixão, Débora Marçal, Flávia Rosa e Priscila Preta.
Diretor: Cia Capulanas
Sinopse resumida: “Solano Trindade e suas Negras Poesias” retrata a força da mulher negra. As interpretes criadoras contribuem ainda com suas vivências narrativas traduzindo-as de forma poética. Retrata as descobertas e preconceitos sofridos às mulheres desde a infância até a fase anciã, dialogando ancestralidade e contemporaneidade por meio da musicalidade, coreografias corporais e poesias.

Cena: O caso da vara / Cia do Invisível (RJ)
Duração: 30 minutos
Autor texto: Machado de Assis
Ator: Dejanine Braga, Tony Felix, Jones Martins, Alex Nanin, Monica Parreira e Marcos Ferreira
Diretor: Alexandre Damascena
Sinopse resumida: Família obriga o rapaz a estudar em um seminário, e ele não quer seguir a vida religiosa. 

MOSTRA A LINGUAGEM E A VIDA SÃO UMA COISA SÓ

Ficção e realidade se misturam a partir de memórias afetivas. 

25 de março (segunda-feira), das 10h às 21h
26 de março (terça-feira), das 10h às 21h

Ao longo do dia, Georgiana Góes apresenta a cena diversas vezes para um espectador por vez. 
Local: Laranjeiras 

Cena: Pequenos e grandes gestos de despedidas (RJ)
Duração: 21 minutos
Autor texto: Georgiana Góes com colaboração do Marcus Faustini
Ator: Georgiana Góes
Diretor: Marcus Faustini
Sinopse resumida: Uma mulher, alguns objetos, uma tempestade, o e-mail, e um amor perdido. Uma história pessoal que se mistura com a ficção, uma experiência que vai acontecer na relação entre a atriz e um espectador de cada vez, durante algumas horas.

MOSTRA A LINGUAGEM E A VIDA SÃO UMA COISA SÓ II

27 de março (quarta-feira), às 19h

Local: Borel e Cidade de Deus

18 cenas fruto do processo de trabalho dos atores a partir de histórias de jovens moradores do Borel e da Cidade de Deus, com direção do inglês Kerry Michael, diretor do Theatre Royal Stratford East, e Susanna Kruger. 

SERVIÇO:

Home Theatre – Festival Internacional de Cenas em Casa
19 a 27 de março de 2013
Entrada gratuita

Home Theatre nas Redes Sociais:
E-mail: contato@festivalhometheatre.com.br
Fanpage no Facebook: www.facebook.com/festivalhometheatre
Fotos no Flickr: www.flickr.com/festivalhometheatre
Vídeos no Youtube: www.youtube.com/festivalhometheatre

Mais informações:
RPM Comunicação
Érica Avelar – erica@rpmcom.com.br – (21) 3478-7437 // 8272-2337
Renata van Boekel – renata@rpmcom.com.br – (21) 3478-7437 // 8018-9977

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.