Moradoras do Complexo do Alemão aprendem a fazer ovos e trufas de chocolate

Oficina de culinária realizada na comunidade reúne 20 alunas da terceira idade
 

Se depender da turma de “coelhinhas da terceira idade” do Complexo do Alemão, a Páscoa este ano na comunidade vai ser farta e muito animada. Por iniciativa dos policiais da UPP, 20 senhoras foram convidadas para participar de uma oficina culinária, na qual aprenderam a confeccionar trufas e ovos de chocolate que foram distribuídos paras crianças na quinta-feira (28/3).

 

Dona Lidia Ribeiro, 82 anos, é a “mascote” da turma. Moradora da comunidade há 73 anos, ela é uma das alunas mais aplicadas.

 

– Vou te contar uma coisa. Eu não gosto de chocolate. Na verdade, eu amo. Sou uma chocólatra mesmo – disse Lidia.
Com três filhos, oito netos e 11 bisnetos, dona Lidia conta que foi convidada pela Soldado Katrilin para participar da iniciativa. Todos os dias é levada com as outras alunas, por uma van da UPP, até o local onde as aulas são realizadas. O curso tem duração de duas semanas.

 

– Estou adorando. Sempre gostei de chocolate, mas nunca tinha feito nada relacionado a isso. Eu era faxineira. Está sendo bom, porque agora posso fazer ovo de chocolate para todo mundo – disse Lidia, que elogia a parceria com a UPP e o tratamento que a soldado Katrilin dispensa aos moradores da comunidade do Alemão. – Já vi muita coisa aqui, menos esse tipo de iniciativa. Bom ver que meus netos vão ter mais oportunidades – afirmou.

 

Aluna de um projeto de ginástica para Terceira Idade, coordenado por policiais da UPP do Alemão, Alreni Barreto, de 70 anos, resolveu aproveitar mais uma atividade proporcionada pela unidade.

 

– A gente sempre trabalhou para sustentar os filhos, sem pensar no que realmente gostaríamos de fazer. Hoje, estou com 70 anos fazendo o que gosto, entre aulas de ginástica e culinária. Só posso dizer que estou feliz – afirmou Alreni.

 

Outra aluna animada é dona Adeilda Bezerra, de 66 anos. Ela já tem alguma bagagem, pois chegou a fazer de sua casa uma pequena “fábrica”, onde produzia uma série de produtos feitos de chocolate para vender.

 

– Isso tem muito tempo. Mas não tive condições de continuar, porque meus filhos estavam pequenos, fiquei muito doente e a própria condição financeira me impediu de prosseguir. Hoje, tenho a oportunidade de voltar a fazer o que gosto e aprender ainda mais dentro de uma área que sempre me encantou – explicou Adeilda.

 

O projeto da oficina para as moradoras do Alemão é da empresa Masan Alimentos, que pela primeira vez investiu em uma iniciativa do gênero. A firma já desenvolve cursos voltados para o setor de alimentação em comunidades pacificadas, e foi procurada pela UPP local inicialmente para contribuir com a doação de ovos de chocolate.

 

A ideia da realização da oficina surgiu para que fosse atendida a demanda da comunidade com um diferencial: a confecção dos ovos realizada pelas próprias moradoras, que acabaram desenvolvendo uma nova habilidade.

 

As oficinas contam com 20 alunas que, segundo os profissionais da Masan, superaram as expectativas.

 

– Não esperávamos que elas fossem se desenvolver tão bem. Tanto que já estão aprendendo a fazer trufas e isso nem estava planejado. Queremos, agora, realizar oficinas em outras datas comemorativas, como Dia das Mães, por exemplo. Está sendo uma experiência muito positiva, porque estamos vendo o engajamento, tanto das moradoras, quanto da própria UPP – disse o gestor de Responsabilidade Social da empresa, Alexandre Sapucaia.

 

Leia mais em: http://www.upprj.com

 

Governo do Rio

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.