MPRJ instaura inquérito para garantir atendimento às vítimas da chuva em Petrópolis

A medida é para para assegurar que as famílias vítimas das tragédias provocadas pelas chuvas recebam imediatamente o aluguel social e que, em caráter definitivo, sejam recompensadas com indenizações, compra assistida ou casas populares.
 

A Promotora de Justiça Zilda Januzzi Veloso Beck, titular da 1ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva de Petrópolis, instaurou inquérito civil, nesta sexta-feira (22/03), para assegurar que as famílias recebam imediatamente  o aluguel social e que, em caráter definitivo, sejam recompensadas com indenizações, compra assistida ou casas populares.

 

 

Zilda Januzzi informou que se reunirá com agentes da Defesa Civil e da Secretaria de Assistência Social para obter o mapeamento de todas as áreas de risco da cidade e o respectivo plano de contingência. A Promotora explicou que ,na reunião, ela pretende ter uma visão integral de todos os pontos onde serão necessárias remoções e daqueles onde apenas deverão ser feitas obras de contenção.

 

 

Na quinta-feira (21/03), as Promotoras Zilda Januzzi Veloso Beck e Mariana Mascarenhas Ferreira Gomes ajuizaram Ação Civil Pública  para que a prefeitura, o governo do estado e o Instituto Estadual do Ambiente (Inea) realizem obras para evitar o transbordamento dos rios Quitandinha e Piabanha, na cidade. O problema com esses dois rios teria contribuído para a tragédia que matou mais de 30 pessoas com as chuvas desta semana.

 

 

Assessoria de Comunicação Social – MPRJ

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.