Museu da Moda consolida economia criativa na Zona Norte

Espaço irá aquecer indústria têxtil em São Cristóvão e revitalizar o bairro imperial
 

 

Um dos setores que mais crescem no Estado do Rio de Janeiro, a indústria criativa ganhará um reforço em breve: o Museu da Moda. Instalado na Casa da Marquesa de Santos, em São Cristóvão, na Zona Norte do Rio, o equipamento da Secretaria de Cultura irá consolidar a vocação têxtil da região, que concentra grande parte da indústria do vestuário na cidade do Rio com mais de 335 empresas, e ajudar no processo de revitalização do bairro imperial.

 

Mais de 2,6 mil trabalhadores na região

 

Segundo a Firjan (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro), a região administrativa de São Cristóvão, que inclui ainda Mangueira e Benfica, é a segunda que mais emprega profissionais do setor da Moda no município. São mais de 2,6 mil trabalhadores, de designers de moda a vendedores, representando 11,2% dos empregados da área na capital fluminense.

 

– O Museu da Moda é uma importante âncora para impulsionar o Arranjo Produtivo Local (APL) de Moda Carioca de São Cristóvão, que hoje conta com uma indústria pungente e com serviços de qualidade. Grandes marcas cariocas estão na área, empresas reconhecidas internacionalmente – afirmou a subsecretária de Comércio e Serviços da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Dulce Angela Procópio.

 

Obras estão na segunda fase

 

As obras de restauração da Casa da Marquesa de Santos entrarão em sua segunda fase, com a elaboração de projetos executivos. A primeira etapa foi feita pela Espírito Santo Cultura. O terreno em torno do solar será desapropriado para a construção de anexos que serão ocupados pelo Museu da Moda e o Rio Criativo, programa da Secretaria de Cultura. O complexo – implantado em parceria com o Instituto Zuzu Angel, Fundação Getúlio Vargas (FGV) e o Sebrae – vai abrigar cerca de 20 incubadoras de empresas, mais ateliês, lojas e restaurantes.

 

– O Estado do Rio foi pioneiro em reconhecer a moda como cultura. Moda é expressão, e é disso que trata a cultura. E faz todo o sentido o novo museu ser instalado em São Cristóvão, que é o bairro das empresas do setor – explicou a secretária de Cultura, Adriana Rattes.

 

Parte das intervenções, orçadas em R$ 4,1 milhões, é financiada pelo BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social).

 

0 comentários