Pipeiro comemora dias de paz no Morro dos Macacos

Manoel das pipas, que adotou a comunidade como ponto de venda há 25 anos, aponta conquistas da pacificação
 

No Morro dos Macacos, na Zona Norte do Rio, o campo antes usado por criminosos virou uma das mais disputadas áreas de lazer de crianças e adolescentes da região. No espaço, a brincadeira de soltar pipas se transformou em rotina, principalmente depois da chegada da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP). Além dos jovens, o pipeiro Manoel Horácio, que adotou a comunidade como ponto de venda há 25 anos, também comemora a nova fase da favela.

 

Mais conhecido como Manoel das Pipas, o serralheiro aproveita o período de férias e feriados para fazer e vender pipas na comunidade. Morador do entorno do Morro dos Macacos, no bairro de Vila Isabel, o pipeiro virou personagem da comunidade.

 

– Trabalho com alumínio desde a década de 70, faço tudo dentro de serralheria. Fazer pipa é uma coisa que eu gosto. Não moro na comunidade, mas sou muito considerado pelos moradores. Adoro este lugar. Depois da UPP, está tudo mais calmo – disse Manoel.

 

O selo de qualidade das pipas do Manoel vem de quem mais entende do assunto: jovens da comunidade pacificada, como Luis Fernando Nascimento.

 

– As pipas dele são boas, as melhores do morro. Agora está ainda melhor de soltar pipas, sem a violência. Soltamos de qualquer lugar da comunidade – afirmou o jovem.

 

Nas voltas às aulas, o pipeiro diminui a produção para não atrapalhar o estudo da garotada. Em dias de movimento, Manoel chega a vender de 25 a 30 mil unidades por temporada. Ele também realiza festivais de pipas na comunidade.

 

Governo do Rio

0 comentários