Prefeito anuncia melhorias para o Parque Nacional da Tijuca

Linhas de micro-ônibus para o Corcovado e investimentos na sinalização do parque estão entre novidades
 

Após reunião com o Comitê de Gestão Compartilhada do Parque Nacional da Tijuca nesta sexta-feira (22/03), no Parque Lage, o prefeito Eduardo Paes anunciou investimentos para a melhoria do acesso e da conservação do espaço, a Unidade de Conservação Federal com maior visitação do Brasil e que recebe por ano mais de 2,5 milhões de pessoas. Participaram da reunião a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira; o secretário estadual de Meio Ambiente, Carlos Minc; e o secretário municipal de Turismo, Antonio Pedro Figueira de Mello.

Após o encontro foi assinado um termo de cooperação entre o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e a Fundação SOS Mata Atlântica para o fortalecimento e a sustentabilidade do parque. Desde 2009, quando foi iniciada a gestão compartilhada do parque entre os governos municipal, estadual e federal, a Prefeitura do Rio disponibiliza recursos para melhorar ainda mais a infraestrutura do espaço, contribuindo na limpeza, na conservação e na fiscalização do parque.

Entre as principais ações que serão desenvolvidas pela prefeitura estão a criação de duas linhas de micro-ônibus para acesso ao Corcovado – saindo do Largo do Machado e do Parque da Catacumba, na Lagoa -, e a melhoria da sinalização na região. Paes sugeriu ainda para o comitê que os bilhetes para o Corcovado sejam vendidos com antecedência, para evitar as enormes filas que se formam na entrada para o monumento, no Cosme Velho:

– O Cristo Redentor é o principal cartão-postal da cidade, e vamos melhorar o acesso ao local com a criação de duas linhas de micro-ônibus saindo da Zona Sul. A venda de ingressos pela internet, por exemplo, é fundamental, para diminuir aquelas filas. Também vamos aumentar os investimentos na sinalização turística da região.

A nova parceria entre o Instituto Chico Mendes e a Fundação SOS Mata Atlântica inclui o desenvolvimento de estudos para planejamento de um fundo financeiro e a avaliação do potencial de captação de recursos por meio de adoção de áreas, patrocínio e outras fontes que contribuam para a conservação e o manejo do Parque Nacional da Tijuca, com o objetivo de criar ferramentas e estratégias para a sustentabilidade financeira do local.

O parque, com uma área de 3.972 hectares, abrange diversos atrativos turísticos relevantes da cidade do Rio de Janeiro, como a Pedra da Gávea, a Vista Chinesa, o Parque Lage, o Morro do Corcovado (com o Monumento ao Cristo Redentor), a rampa de saltos da Pedra Bonita e a Floresta da Tijuca. A ministra Izabella Teixeira disse que pretende transformar o parque em uma referência de turismo nacional:

– Demos mais um passo para consolidar essa gestão compartilhada do Parque Nacional da Tijuca. As questões apresentadas aqui mostram que esse modelo de gestão requer a articulação das três instâncias do poder público para termos resultados no menor prazo. Fico muito feliz que tenha sido retomada uma visão estratégica de curto e médio prazo do parque, com atividades concretas e com os compromissos que foram assumidos. Vamos de fato consolidar o parque com o apelo do turismo e torná-lo um ícone de referência do Brasil e não só da cidade do Rio.

 

Prefeitura do Rio

0 comentários