Projeto Autonomia transforma o futuro de estudantes da rede pública estadual

A Secretaria de Educação iniciou o programa em 2009 com o objetivo de corrigir a defasagem idade-série na rede estadual de ensino
 

O aluno desinteressado deu lugar a um líder de turma com metas bem definidas. Há dois anos, Daniel Vicente, de 19 anos, repetiu o 1º ano do Ensino Médio e pensava em largar os estudos. Ao ser apresentado pela direção do Colégio Estadual Monteiro de Carvalho, em Santa Teresa, ao projeto Autonomia, o jovem encontrou em um método diferenciado a moti vação que faltava para se formar e fazer planos para o futuro.

Atualmente, mais de 47 mil alunos dos níveis Fundamental e Médio da rede pública do Estado têm aulas através da iniciativa. Todas as disciplinas do currículo são ministradas por um mesmo professor, com aulas e livros do Telecurso desenvolvidos pela Fundação Roberto Marinho, parceira da Secretaria de Educação. Ao final de cada teleaula, os alunos produzem um resumo com os principais tópicos para ficar em exposição.

“Aprendi muito. Fiz muitas amizades. Conheci pessoas que me ajudam, não só nos estudos, as também na minha vida”, disse Daniel. Desacreditado por ser um aluno sem assiduidade, Daniel decidiu mudar de postura quando ouviu que nunca conseguiria realizar o sonho de ser militar sem estudos.

– Em junho, começo no quartel. Estou bem mais preparado hoje em dia. Pude me conhecer e ver a vida de outra forma – afirmou o aluno.

 

Mais motivação no aprendizado

A Secretaria de Educação iniciou o programa em 2009 com o objetivo de corrigir a defasagem idade-série na rede estadual de ensino. Através do Autonomia, os alunos concluem os estudos depois de quatro módulos de teleaulas e avaliações.

A professora Luanda Oliveira, de 37 anos, enfatiza que o método estimula os estudantes com diferentes maneiras de aprender.

– Alguns alunos têm mais facilidade assistindo às aulas, outros precisam do debate do assunto após os vídeos para absorver o conteúdo. Em sala de aula, trabalhamos com uma metodologia de incentivo, de dinâmicas e de muito diálogo – explicou Luanda.

Quando iniciou o projeto, Thiago Reis, de 19 anos, ficou surpreso.

 

– O ponto positivo é que aqui todo mundo é unido. Antes de entrar no projeto Autonomia, tinha um pensamento de vida muito estranho. Achava que estava na escola por obrigação e que aquilo não ia me beneficiar em nada. Hoje, vejo que é completamente diferente – disse Thiago.

 

Governo do Rio

0 comentários