Bope faz treinamento intensivo para melhorar saúde e condicionamento de policiais

Programação inclui 12 horas de atividades físicas e dieta de 1,2 mil calorias
 

Treze policiais do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) com problema de sobrepeso realizam, desde segunda-feira (1/4), em uma fazenda em Guaratiba, na Zona Oeste do Rio, um treinamento intensivo para recuperar o condicionamento físico e queimar calorias. A programação do grupo, que ficará internado até sexta-feira (5/4), inclui, diariamente, 12 horas de atividades físicas.

 

São longas caminhas em mata fechada usando farda, corridas de 30 quilômetros, séries de abdominais e flexões, circuitos de treinamentos, além de exercícios de alongamento, musculação, natação e hidroginástica. Os agentes do Bope já estão de pé às 6h da manhã e vão dormir às 21h30, no toque de recolher.

 

Os policiais, que estão na faixa etária de 35 a 55 anos, foram selecionados para participar do treinamento após os exames médicos periódicos detectarem hipertensão, alta taxa de colesterol e diabetes, problemas provocados por alimentação inadequada. Eles estão recebendo acompanhamento direto de um professor de educação física, que estabelece o programa de atividades físicas de cada dia, e também de um médico e de um nutricionista.

 

– O objetivo dessa experiência é, acima de tudo, melhorar a saúde e a qualidade de vida dos policiais, aprimorando suas condições físicas e prevenindo doenças futuras. Os exercícios físicos que compõem o programa simulam o dia a dia do Bope, com operações que duram em média 12 horas, sob clima quente, portando fuzil e vestindo colete e farda. O ritmo é puxado, mas os policiais já estão habituados – disse o professor de educação física da equipe, sargento Marcos Alessandro Campelo.

 

Com uma dieta regrada, de cerca de 1.200 calorias diárias, os agentes comem pão integral, queijo branco, granola, vitaminas, leite e iogurte desnatados no café da manhã e no lanche. Já no almoço e no jantar, verduras e legumes à vontade, acompanhados por carnes magras grelhadas, linhaça e sucos de frutas de baixa caloria, como limão, maçã e abacaxi.

 

– Os policiais estão recebendo uma alimentação saudável, com alimentos ricos em nutrientes, fibras, proteínas e em carboidratos complexos que ajudam a saciar a fome. Para emagrecer e melhorar a saúde, é importante que eles alterem seus hábitos alimentares para o resto da vida e deem exemplo em casa. No fim da semana, os familiares dos agentes serão convidados para assistir a uma palestra sobre nutrição e educação alimentar – explicou o nutricionista do programa intensivo, tenente William Corrêa.

 

A ideia é que após o fim do treinamento, os 13 policiais mantenham a dieta equilibrada e intensifiquem as atividades físicas no dia a dia.

 

– Esse é uma experiência voltada para a reeducação alimentar e mudanças de hábitos nocivos à saúde, como ingestão de frituras, açúcar e comidas gordurosas. Para evitar lesões em serviço, queremos que os policiais adotem hábitos saudáveis, com alimentação balanceada e prática de exercícios físicos mesmo fora expediente da corporação. Vamos continuar acompanhando os policiais ao longo dos meses. A meta é melhorar a saúde de nossos agentes – afirmou o médico que acompanha o treinamento, major Humberto Jun.

 

Há 30 anos no Bope, o subtenente Alziro Francisco dos Santos, de 55 anos é um dos 13 policiais confinados no programa intensivo. O policial elogiou a iniciativa do treinamento intensivo em prol da saúde.

 

– Está sendo puxado, mas vai valer a pena porque não podemos mais descuidar da nossa saúde. Quero tentar aplicar a minha rotina tudo o que aprender aqui. Missão dada é missão cumprida – disse Alziro.

 

Governo do Rio

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.