Caos no Rio com o bloqueio a vans entre a Zona Sul e a Barra da Tijuca

Filas enormes nos pontos de ônibus e muitas reclamações de passageiros
 

Auto estrada Lagoa- Barra pela manhã

 

Nesta segunda-feira, dia 15 de abril, o trânsito está muito complicado entre a Barra da Tijuca e a Zona Sul do Rio. Vários bloqueios estão montados na região, entre eles: na Alvorada, no sentido Largo da Barra, na descida do Elevado do Joá para a Lagoa-Barra, sentido São Conrado, e outro na Rocinha. Motoristas que saem da Barra enfrentam um grande congestionamento que começa no trecho final da Avenida das Américas, segue pelas avenidas Armando Lombardi e Ministro Ivan Lins, continua pela Ponte da Joatinga e prossegue por toda a extensão da Autoestrada Lagoa-Barra.

 

 

Pelas redes sociais é possível ver o desespero dos passageiros e acompanhar o caos pela cidade.  Relatos informam que dez manifestantes com faixas e cartazes chegaram a fechar meia-pista da Lagoa-Barra por cerca de cinco minutos por volta das 7h, no sentido São Conrado, mas foi informado que rapidamente várias equipes da CET-Rio chegaram ao local, e que em seguida os manifestantes liberaram a via.

 

 

 

Na Linha Amarela, a situação também era bem complicada pela manhã, pois ela que seria uma boa alternativa para o Centro, está lenta no acesso pela Avenida Ayrton Senna até a Praça do Pedágio, e de Pilares até a chegada à Avenida Brasil. A Estrada do Joá, que seria outra uma opção para a Zona Sul, tem trânsito intenso. Entre São Conrado e o Leblon, a Avenida Niemeyer também está lenta.

 

 

Agentes da Coordenadoria de Transporte Complementar da prefeitura começaram a montar os bloqueios cerca de 4h da manhã. Na autoestrada Lagoa-Barra, na descida do Elevado do Joá no sentido São Conrado, um bloqueio contava com homens da coordenadoria e uma viatura do Batalhão de Choque.

 

 

 

Usuários reclamam da demora dos ônibus

 

Moradores da Rocinha lotam os pontos de ônibus nas proximidades da comunidade. Os mais prejudicados são os passageiros que pretendem ir para a Zona Oeste, pois uma das linhas que circulava para a Zona Sul, Taquara-Gávea, passando pela Barra está bloqueada, e este trajeto não possui linha de ônibus, apenas as vans faziam este caminho para a Taquara, fazendo com que estes passageiros sejam obrigados, a partir de agora, a pegar duas conduções.  Os passageiros reclamam que antes aguardavam cinco minutos para pegar a van, agora demoram de 15 a 20 minutos para pegar um ônibus até a Barra, e mais uns 10 minutos ou mais para embarcar num ônibus para a Taquara, o que alterou a demora no trajeto em mais uma hora. “É um caos. Se não bastasse as complicações com as obras, agora a gente tem que se submeter a estes ônibus lotados, sem espaço nem para se mexer e ainda chegar atrasada no trabalho. Absurdo. O prefeito não anda de ônibus” – diz revoltada a secretária Carmem Lúcia que mora na Gávea e trabalha na Taquara, em Jacarepaguá.

 

 

 

Bloqueios pela cidade

 

 

Os acessos ao Aterro do Flamengo, ao Joá e ao Túnel Rebouças, e mais 21 pontos espalhados pela Zona Sul, têm bloqueios e equipes de fiscalização da prefeitura desde às 4h da manhã. O objetivo é fazer valer o decreto do prefeito Eduardo Paes que proíbe a circulação de vans em 11 bairros da região a partir de hoje. A medida, como já admitiu o secretário municipal de Transportes, Carlos Roberto Osório, deverá causar engarrafamentos. Para tentar reduzir o impacto no trânsito, motoristas deverão prestar atenção às orientações de painéis eletrônicos e agentes da CET-Rio. De acordo com a prefeitura, as equipes não têm hora para deixar as ruas.

 

 

 

Reação dos motoristas de vans

Cerca de 4,5 mil motoristas de vans se programam para acampar em frente ao Ministério Público, na Avenida Marechal Câmara, no Centro, ainda nesta segunda, dia 15. Para evitar conflito com os fiscais, eles devem deixar as vans nas garagens.

 

 

As vans estão vetadas nos bairros de Botafogo, Humaitá, Urca, Leme, Copacabana, Ipanema, Leblon, Lagoa, Jardim Botânico, Gávea e São Conrado. O prefeito Eduardo Paes negou que a implementação acelerada da regra tenha relação com o estupro de uma turista americana numa van irregular, no mês passado.

 

 

As exceções à nova norma são os veículos que já ligavam as favelas da Rocinha e do Vidigal a outras regiões da Zona Sul. Eles só poderão circular, porém, dentro de roteiros circulares predeterminados. Os motoristas que forem flagrados desrespeitando o decreto serão multados em R$ 1.250,98 e terão os veículos recolhidos a depósitos do Detro. Os passageiros que estiverem nos carros irregulares terão de descer e não serão reembolsados.

 

 

A nova regra não se aplica a vans credenciadas para fretamentos, como as que transportam passageiros de uma empresa ou turistas de agências de excursões, por exemplo. Os fiscais, contudo, orientam os motoristas a portar cópias dos contratos, que deverão ser apresentadas em caso de requisição. Além dos pontos fixos, a fiscalização ocorrerá em diversos trechos da Zona Sul por meio de agentes à paisana.

 

 

A prefeitura alega que a norma faz parte de um projeto do município para reorganizar o sistema de transportes. Posteriormente, haverá uma licitação de linhas de vans em regiões não atendidas por meios de massa (trens e metrô). As vans credenciadas também passarão a aceitar o bilhete único. A previsão é que a licitação na Zona Sul seja concluída em maio.

 

 

 

Foi informado também, que apesar da medida, a prefeitura não tem dados oficiais sobre o número de vans ou de passageiros que as utilizam na Zona Sul. O Sindivans-Rio, que representa a categoria, estima que cerca de 500 veículos prestem o serviço, transportando 100 mil usuários e gerando uma receita diária de cerca de R$ 500 mil. Para suprir o aumento da demanda, a Secretaria municipal de Transportes determinou às empresas de ônibus que reforcem em até 50% a frota de 13 linhas consideradas fundamentais.

 

 

As linhas regulares que já atendem a Zona Sul deverão manter toda a frota na rua. A exigência também é válida para os frescões. A concessionária que administra o metrô aumentou o número de bilheteiros e de agentes para tirar dúvidas de passageiros que não utilizam o sistema.

 

 

Obras da Transcarioca e Porto Maravilha

Além das alterações nas vans, os motoristas também devem ficar atentos ao primeiro dia útil das novas mudanças no trânsito provocadas pela obras do BRT Transcarioca (Barra da Tijuca-Aeroporto Tom Jobim) e do Porto Maravilha, que começaram anteontem.

 

No Centro, a Rua Visconde de Itaboraí, no trecho entre a Presidente Vargas e a Rua Visconde de Inhaúma, está interditada para as obras de um túnel do complexo viário que substituirá o Elevado da Perimetral. Apenas uma faixa ficará aberta para permitir o acesso ao 1º Distrito Naval. A Rua Primeiro de Março é a opção para quem deseja chegar à Visconde de Inhaúma.

 

 Redação com fontes

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.