MMX e FIRJAN reúnem cerca de mil estudantes pelo Projeto Cultivar

Desde o início do Projeto, mais de100 mil mudas já foram plantadas em áreas degradadas às margens do Rio Guandu (RJ)
 

Cerca de mil alunos de escolas públicas de Itaguaí e Queimados e das Unidades SESI  e SENAI do Rio de Janeiro participaram da quinta etapa do Cultivar, projeto de reflorestamento da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) em parceria com a MMX, mineradora do Grupo EBX. Nesta quarta-feira, 17, os estudantes participaram de uma ação de manutenção das mais de 100 mil mudas nativas de Mata Atlântica plantadas às margens do Rio Guandu nos municípios de Queimados e Seropédica.

 

 

Os estudantes da Escola Municipal Elmo Baptista Coelho, da Ilha da Madeira, em Itaguaí, foram os primeiros a chegar à área de plantio. A diretora da escola, Tereza de Fátima Machado, conta que os alunos estavam curiosos para ver o desenvolvimento das mudas plantadas no ano passado, quando também participaram de um plantio do Cultivar. Para ela, a integração com a escola é fundamental para a educação ambiental das crianças. “Nós já participamos de outros plantios e queremos participar dos próximos também. A MMX e a FIRJAN poderiam simplesmente vir aqui e plantar, mas convidam os alunos para participar do processo. Assim, eles vão dar mais valor no futuro”, conta.

 

 

A MMX foi a primeira empresa privada a participar do Cultivar. Desde 2011, o projeto visa recuperar as matas ciliares do Rio Guandu, que abastece 80% da região metropolitana do estado e também possui a maior estação de tratamento de água do mundo. A iniciativa prevê o cultivo de mais de 200 mil mudas de árvores da Mata Atlântica, entre elas, espécies em extinção como Palmito-Juçara, Jequitibá, Jacarandá e Pau-Brasil.

 

 

“Além de mobilizar alunos e professores no plantio de mudas, a MMX tem o compromisso de garantir a manutenção da área para que as plantas se desenvolvam”, destaca Luciano Ferreira, diretor de Operações do Superporto Sudeste, empreendimento que está em construção na Ilha da Madeira, em Itaguaí.

 

 

Glauco Bezerra Souza, aluno da Unidade SESI Nova Iguaçu, também participou do replantio de uma árvore durante o evento. Para ele, a ação é um contato prático do conteúdo que aprende na sala de aula. Ele explica que o reflorestamento é essencial para resolver ou amenizar problemas ambientais como a erosão e a poluição da água. “Muitas pessoas não prestam atenção e até não dão valor para a questão da preservação. Quando elas chegam aqui e participam, elas sentem mais vontade de ajudar”, afirma.

 

 

“A ação de hoje foi um sucesso, o dia está lindo e nós já podemos ver como as mudas do ano passado cresceram. Os alunos que plantaram hoje puderam ter uma ideia de como ficarão no ano que vem”, disse Ivan Sá, especialista em Meio Ambiente do Sistema FIRJAN.

 

 

Sobre o Cultivar
Ao todo, a MMX está investindo R$ 4 milhões no Projeto Cultivar. Iniciado em novembro de 2011, o programa já realizou outros quatro plantios que envolveram mais de 4 mil pessoas, entre profissionais da FIRJAN, MMX e estudantes de Itaguaí, Mangaratiba, Queimados e Rio de Janeiro. Durante três anos, as mudas plantadas receberão acompanhamento e manutenção para garantir a recuperação ambiental da mata ciliar do Rio Guandu. Ainda no primeiro semestre de 2013, está previsto um novo replantio de manutenção com a participação de outras escolas da região.

 

 

Sobre a MMX
A MMX, companhia de minério de ferro do grupo EBX, do empresário Eike Batista, foi criada em 2005. Com dois sistemas em operação – Sistema Sudeste, em Minas Gerais, e Sistema Corumbá, no Mato Grosso do Sul – a MMX tem capacidade instalada para produzir 10,8 milhões de toneladas de minério de ferro por ano. A MMX também está presente no Rio de Janeiro, com o Superporto Sudeste, que está sendo construído na Baia de Sepetiba. A companhia possui também direitos de extração de minério de ferro em Bom Sucesso (MG). A meta da companhia é ampliar a capacidade instalada da Unidade Serra Azul (MG) para 29 milhões de toneladas de minério de ferro por ano.

 

 

Mais informações para a imprensa:   Assessoria de Imprensa MMX

0 comentários