Prefeitura proíbe circulação de Vans na Zona Sul

Em um mês de operações contra o transporte irregular, mais de 600 veículos já foram apreendidos
 

A Prefeitura do Rio proíbe, a partir de segunda-feira, dia 15 de abril,  a circulação de vans e kombis em 11 bairros da Zona Sul do Rio: Botafogo, Humaitá, Urca, Leme, Copacabana, Ipanema, Leblon, Lagoa, Jardim Botânico, Gávea e São Conrado. Os veículos autorizados poderão circular no Vidigal e na Rocinha.

 

 

Segundo o decreto, publicado na quinta-feira, dia 11 de  abril, no Diário Oficial do Município, fica proibida em parte da Zona Sul a circulação de veículos de baixa capacidade de transporte de passageiros, como camionetas tipo van, kombi ou microônibus, cadastrados na Secretaria Municipal de Transportes (SMTR) e integrantes do Serviço de Transporte Urbano Especial Complementar de Passageiro, denominado de Subsistema de Transporte Urbano Especial Complementar de Passageiros – TEC.

 

 

Segundo o prefeito Eduardo Paes, a próxima região a receber a proibição será o Centro, mas ainda não há previsão:  – Tirando duas linhas, que estão sendo licitadas e vão ligar basicamente o Vidigal ao Jardim de Alah e a Rocinha ao Jardim de Alah, não haverá mais nenhum lugar na Zona Sul em que será permitida a circulação de vans. Aliás, no Centro também será assim. No processo licitatório já está previsto que nenhuma van entrará, mas ainda não há previsão. São regiões que não precisam de transporte complementar, pois já contam com metrô, ônibus e táxis. O objetivo da van é  ser complementar a uma rede de transporte, devemos colocá-la onde a dificuldade de acesso à rede de transporte é grande, como em alguns sub-bairros das zonas Norte e Oeste. 

 

 

De acordo ainda com o decreto ficam excluídos da proibição os veículos cadastrados que operam nos bairros da Rocinha e do Vidigal, que deverão observar os seguintes itinerários:

 

 

PARQUE DA CIDADE X GÁVEA (VIA FASHION MALL) CIRCULAR – Estrada da Gávea (próximo à Rua Tenente Francisco Mega), Estrada da Gávea, Autoestrada Lagoa – Barra (pista sentido Barra da Tijuca), retorno próximo à Estrada do Joá, Autoestrada Lagoa – Barra (pista sentido Lagoa), Autoestrada Lagoa – Barra, Rua Engenheiro Amandino de Carvalho, Avenida Prefeito Mendes de Moraes, Avenida Niemeyer, Avenida Delfim Moreira, Avenida Epitácio Pessoa, Avenida Borges de Medeiros, Rua Gilberto Cardoso, Praça Nossa Senhora Auxiliadora, Rua Mário Ribeiro, Avenida Bartolomeu Mitre, Rua Marquês de São Vicente, Estrada da Gávea, Estrada da Gávea (próximo à Rua Tenente Francisco Mega).

 

 

 

PARQUE DA CIDADE X FASHION MALL (VIA GÁVEA) CIRCULAR – Estrada da Gávea (próximo à Rua Tenente Francisco Mega), Estrada da Gávea, Rua Cedro, Rua Mary Pessoa, Rua Marquês de São Vicente, Rua Arthur Araripe, Rua Padre Leonel Franca, retorno sob a pista da Autoestrada Lagoa – Barra, Avenida Padre Leonel Franca, Rua Mário Ribeiro, Avenida Borges de Medeiros, Avenida Delfim Moreira, Avenida Visconde de Albuquerque, Avenida Niemeyer, Largo da Macumba, Estrada da Gávea, Rua Cedro, Rua Mary Pessoa, Estrada da Gávea, Estrada da Gávea (próximo à Rua Tenente Francisco Mega).

 

 

 

Na segunda-feira, dia em que a medida entrará em vigor, a Coordenadoria Especial de Transporte Complementar fará operações na região para impedir a circulação dos veículos.

 

 

 

UM MÊS DE OPERAÇÕES

 

Iniciadas em 11/03, as operações de combate ao transporte irregular da Coordenadoria Especial de Transporte Complementar da Prefeitura do Rio já apreenderam mais de 600 veículos em situação irregular em toda a cidade. Na última, na noite desta terça-feira (09/04), foram apreendidos 39 veículos (35 vans e kombis) em blitzes realizadas na Ilha do Governador e em Copacabana.

 

 

 

Na ocasião, foi constatado o respeito dos motoristas de vans à proibição de circular com películas escuras nos vidros do carro. A proibição entrou em vigor na última segunda-feira. O motorista que for flagrado com a película deverá pagar uma multa no valor de R$ 1251,48, além de ter o veículo lacrado e sua permissão apreendida até que sua situação seja regularizada na Secretaria Municipal de Transportes.

 

 

 

Entre as maiores irregularidades encontradas pelos fiscais nas operações estão carros em mau estado de conservação, falta de vistoria, descaracterização do veículo e motoristas sem a Carteira Nacional de Habilitação.

 

 

0 comentários