Rio registra 20 dias sem mortes violentas em seis meses

Queda nos homicídios dolosos no estado foi de 36,1% em sete anos
 

O segundo semestre do ano de 2012 na cidade do Rio de Janeiro teve 20 dias (exatas 652 horas e 45 minutos) sem homicídios dolosos (com intenção de matar). O fato voltou a ocorrer no dia 11 deste mês, quando não foi registrada qualquer morte violenta. O diagnóstico positivo da segurança pública na capital, resultado de um levantamento feito pelo delegado Rivaldo Barbosa, da Divisão de Homicídios (DH), é um reflexo da política do Estado, baseada na pacificação de áreas anteriormente dominadas por criminosos e no rigoroso cumprimento, pela polícia, do Sistema Integrado de Metas (SIM).

 

 

“Além da política de pacificação, com as Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs), e do SIM, nós, da DH, contribuímos na diminuição de homicídios dolosos, porque atuamos com protocolos preestabelecidos para cada local, juntando no mesmo lugar a visão jurídica do delegado de polícia e a visão do perito criminal, do legista e do papiloscopista. Unimos o aspecto de inteligência com o estatístico e os dados geográficos, buscando focar o trabalho nos locais com maior número de homicídios” disse o delegado.

 

 

O Estado do Rio teve uma redução de 36,1% no número de homicídios dolosos dos últimos sete anos. Acompanhando a tendência de baixa, a quantidade de autos de resistência registrou queda de 61%, no mesmo período.

 

Indicativo de boas práticas da polícia

 

Segundo o subsecretário de Planejamento e Integração Operacional da Secretaria de Segurança, Roberto Sá, a drástica diminuição deste tipo de crime reflete a firme política de segurança implementada pelo Governo.

 

“Estes dados são um reflexo muito claro e consistente de que a política de Segurança implantada no Rio de Janeiro, com base na estratégia de pacificação e na gestão por resultados, com adoção de metas de redução de indicadores de criminalidade é um caminho sem volta e que tem devolvido a paz aos cidadãos fluminenses, possibilitando o acesso a uma cidadania plena” afirmou o subsecretário.

 

 

Para Roberto Sá, os 20 dias sem mortes intencionais violentas e a crescente diminuição desse índice são um indicativo de que as boas práticas adotadas devem ser estendidas a todo o estado.

 

 

 

Mais de dois anos sem disparos

Eles são responsáveis por patrulhar cinco municípios da Região Centro-Sul Fluminense e dar segurança a quase 160 mil habitantes. Embora tenham efetuado 609 prisões e 453 apreensões de drogas em 2012, os cerca de 350 policiais do 38° BPM (Três Rios) conseguiram uma façanha: estão há dois anos e cinco meses sem dar um tiro.

 

 

De acordo com o comandante da unidade, o tenente-coronel Marcelo Quinhões, o último registro de disparo ocorreu em 17 de dezembro de 2010. “Planejo operações pela manhã e à tarde, em dois ou três pontos diferentes, além de ter a circulação constante das viaturas. Isso dá sensação de que a cidade está cercada. E agora estamos com as ações “fecha-quartel”, quando os PMs saem de funções administrativas e vão para o policiamento nas ruas” afirmou Quinhões.

 

 

GOVERNO  DO  RIO

0 comentários