Alunos realizam oficina sobre sexo, DST’s e equidade de gêneros

Material será distribuído em todas as 1.330 escolas do Estado do Rio de Janeiro
 

 

A Coordenação de Educação Ambiental e Saúde do Governo do Estado está promovendo um trabalho inovador junto a estudantes da rede estadual. A Oficina de Saúde e Prevenção “Mas pai?!” reúne alunos de sete colégios estaduais, que se destacaram em outros projetos e, através de grupos de trabalho e discussões, vão elaborar cartilhas sobre temas polêmicos como equidade de gênero, direitos sexuais e reprodutivos, prevenção da violência doméstica e prevenção contra DSTs (Doenças Sexualmente Transmissíveis). O material, que contará também com uma outra mídia, a ser definida, será distribuído em todas as 1.330 escolas dos 92 municípios do Estado do Rio.

 

As reuniões da oficina estão sendo realizadas no Colégio Estadual José Leite Lopes/Nave, na Tijuca. A iniciativa é uma parceria entre as secretarias de Educação e de Saúde e a ONG Promundo. Para a coordenadora de Educação Ambiental e Saúde da Secretaria de Educação, Deise Keller, o caminho para propagar valores e conceitos de ética e consciência em meio à sociedade é através dos alunos.

 

“Entre a informação e a educação, existe a responsabilidade. Quando ela amadurece, o ato responsável se replica entre as pessoas. É por isso que acreditamos que a educação tem que formar um cidadão, um ser crítico, emancipatório e libertário. Esta é a nossa proposta, em todos os projetos que encampamos.”, explicou Deise.

 

Estudante do Colégio Infante Dom Henrique, em Copacabana, Larissa Sousa, de 16 anos, disse que a oficina é boa tanto para propagar as ideias dos jovens quanto para aprender mais sobre temas controversos, como homofobia, preconceito de gênero e gravidez precoce.

 

“Me sinto importante por poder participar deste tipo de projeto. Quando o jovem fala para o jovem, eles acabam se entendendo, prestando mais atenção ao que é dito.”, disse a moradora de São João de Meriti, que tem uma irmã que engravidou na adolescência.

 

Por sua vez, Guilherme Ferreira, que cursa o 2º ano do Colégio Júlia Kubitschek, no centro do Rio, acha que os jovens precisam ficar mais conscientes sobre sexo e drogas.

 

“Já participei de outra oficina parecida, e achei muito interessante. A gente vê e fica pensando no assunto, em como se prevenir de certas situações. Aquilo fica na nossa cabeça.”, afirmou o jovem.

 

Segundo Rennan Oliveira, do Colégio Amaro Cavalcanti, no Largo do Machado, ele contribuirá com o material didático que será distribuído na rede pública porque costuma se colocar no lugar de outras pessoas.

 

“Se as pessoas se interessassem mais pela situação do outro, muita coisa progrediria no mundo.”, ressaltou Rennan.

  

Objetivos do projeto 

 

O Projeto Saúde e Prevenção nas Escolas (SPE) é uma das ações do Programa Saúde na Escola (PSE), ambos do governo federal. O objetivo do programa é contribuir para a formação integral dos estudantes da rede pública de educação básica, através de ações de prevenção, promoção e atenção à saúde, criando ações de promoção da saúde sexual e reprodutiva de adolescentes e jovens. As principais metas são contribuir para a redução da infecção pelo vírus HIV e por DSTs, além de diminuir os índices de evasão escolar causada pela gravidez precoce na população de 10 a 24 anos de idade.

  

Informações da assessoria

0 comentários