Estado amplia rede de Bibliotecas Parque em comunidades pacificadas

Projeto estadual registra números expressivos de atendimentos desde a sua inauguração
 

A rede de Bibliotecas Parque do Estado será ampliada com a inauguração de mais unidades em comunidades pacificadas. O Complexo do Alemão vai receber o equipamento público no segundo semestre. Moradores da Mangueira e da Cidade de Deus também serão beneficiados em breve com a iniciativa. As unidades reúnem, além do serviço de empréstimo de publicações, atrativos como internet gratuita, salas para estudo, cursos e reuniões, espaço infantil, DVDteca e acervo digital de música.

 

 

O sucesso do projeto pode ser verificado pelos números expressivos de atendimentos. Primeira a entrar em funcionamento em abril de 2010, a unidade do Complexo de Manguinhos já atendeu 200 mil usuários. Na Rocinha, o número de pessoas já chega a quase 70 mil, desde a abertura no ano passado. Frequentador assíduo da Biblioteca da Rocinha, Rogério Roque, de 29 anos, diz ter mudado a sua vida ao começar a utilizar o equipamento público.

 

“Tenho lido alguns títulos do acervo sobre cinema, porque faço curso de extensão na universidade”, afirmou Rogério.

 

A jovem Livia Gomes, 24 anos, já frequentou diversos cursos na unidade estadual. – Sou percussionista e meus familiares não me levavam a sério. Depois que fiz o primeiro curso aqui, eles passaram a me ver com outros olhos – disse a moradora da Rocinha.

 

 

Modelo é adotado em outros municípios

 

 

Em Niterói, a Biblioteca Parque já recebeu quase 100 mil visitantes e conta com 52 mil consultas ao acervo. Morador de São Gonçalo, o estudante de engenharia, Luan Rangel, de 23 anos, utiliza quase que diariamente o equipamento estadual.

 

 

“Fico na sala de leitura, levo meus livros, uso o Wi-Fi, estudo para concursos públicos. A biblioteca está aprovadíssima”, disse Luan.

 

 

Paracambi, Teresópolis, Paraty e São Gonçalo são os próximos municípios contemplados com a instalação de novas sedes. A Biblioteca Pública do Estado, localizada no centro do Rio, cuja obra está em ritmo avançado, tem previsão de ser reaberta ao público em setembro.

 

 

Unidade do centro será a matriz de um conjunto

 

 

A Biblioteca Pública do Estado será a matriz do conjunto de unidades que têm sido instaladas pelo governo. A expectativa é de que ela atenda 1,5 milhão de pessoas por ano. O espaço – que ocupará 15 mil metros quadrados e contará com 200 computadores, acervo de 200 mil livros e documentos, três milhões de músicas, 1,2 mil filmes e coleção de obras raras sobre a história do Rio de Janeiro – será o primeiro prédio verde construído para uma biblioteca
na América Latina.

 

 

Uma vez pronto, o prédio se credenciará para receber a certificação LEED (Leadership in Energy and Environmental Design Gold) dado pelo Green Building Council Brasil por excelência no uso de energia e no design ambiental.

 

 

O certificado do LEED é concedido a edificações, cujo projeto garante a alta performance dos interiores, com ênfase em locais de trabalho produtivos e redução do impacto ambiental.

 

 

Informações da assessoria

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.