Governo do Estado prestigia comemoração dos 35 anos do Telecurso

Na rede estadual de ensino, o método inovador é usado no projeto Autonomia
 

Criado há 35 anos para levar escolaridade básica a quem precisava concluir os estudos, o Telecurso comemorou seu aniversário na noite desta segunda-feira (27/05), no Espaço Tom Jobim, no Jardim Botânico. Projeto da Fundação Roberto Marinho, em parceria com a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), o Telecurso se tornou, há 20 anos, uma metodologia reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC) e adotada por governos, empresas e ONGs. Durante o evento, foi assinado um termo de cooperação técnica entre o MEC e a Fundação Roberto Marinho para disseminar projetos educacionais e de correção da distorção idade-ano dos estudantes nos sistemas públicos estaduais e municipais.

 

 

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, o governador Sérgio Cabral e o vice-governador e coordenador de Infraestrutura, Luiz Fernando Pezão, participaram da solenidade. Outros governadores e ex-governadores de estados que utilizaram o Telecurso nas salas de aula de suas respectivas redes estaduais estiveram presentes. No Rio, o projeto que utiliza a metodologia se chama Autonomia e já atendeu a 38.524 alunos.

 

“Em toda sala de aula na qual se usa essa metodologia, encontramos pessoas com diferentes saberes organizadas em círculo, dialogando, com a mediação de uma educadora ou um educador motivado e preparado para utilizar variados meios pedagógicos a serviço da socialização, da individuação e da construção da aprendizagem e autonomia dos estudantes.”, explicou a gerente-geral de Educação da Fundação Roberto Marinho, Vilma Guimarães.

 

Transmitida via internet e contando com a apresentação de Zeca Camargo e Roberta Rodrigues, a cerimônia mostrou a história do Telecurso por meio de vídeos, depoimentos e apresentações artísticas. Na ocasião, foi lançado o livro “Incluir para transformar – Metodologia Telessala em cinco movimentos”, com a metodologia, os pensadores que a inspiraram e a sua prática em sala de aula.

 

 

De acordo com o ministro da Educação, mais de 6 milhões de estudantes no Brasil já desfrutaram da metodologia do Telecurso. Segundo ele, o termo de cooperação vai possibilitar a aceleração da formação de professores e educadores de creches; vai dar suporte ao Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa; ajudar a reforçar o ensino das disciplinas de Matemática e Português, entre outras questões. O ministro afirmou que a metodologia será usada no Pronatec (Programa Nacional de Apoio ao Ensino Técnico e Emprego).

 

“Este (o Telecurso) é um projeto inovador, que trouxe à luz uma nova tecnologia educacional. Hoje temos um potencial de alcance ainda maior, com os avanços tecnológicos.”, disse Mercadante.

 

Autonomia é exemplo


O governador Sérgio Cabral assinou o termo de cooperação como testemunha.

 

“Quero parabenizar o Telecurso, que vive inovando, sem perder a tradição. O sucesso da metodologia no Rio acontece com o apoio da Fundação Roberto Marinho. Nossa meta é colocar o Rio de Janeiro entre os cinco primeiros do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) este ano.”, afirmou Cabral.

 

Segundo o secretário de Educação, Wilson Risolia, a defasagem idade-série na rede estadual caiu de 61%, em 2007, para 43%, atualmente.

 

“O Autonomia é um programa com o qual todo mundo ganha: os alunos, o estado e o país. Conseguimos reduzir a defasagem idade-série em quase 20 pontos percentuais, em menos de sete ano.”, disse o secretário.

 

Um exemplo de beneficiada pelo programa é a carioca Stéphanie Peres, de 19 anos, que deixou de estudar depois que teve uma filha, aos 16. Após ficar quase dois anos afastada dos bancos escolares, ela voltou, passando a assistir aulas pelo Autonomia. Moradora do Estácio, ela se forma no Ensino Médio este ano.

 

“Acho bem melhor, aprendo mais rápido. É só uma professora e a turma é pequena e unida.”, contou Stéphanie, que pretende fazer faculdade de Turismo.

 

Governo do Estado

0 comentários