Infrações por problemas sanitários em restaurantes e supermercados no Rio aumentam 40%

Os autos de infração passaram de 4.922 em 2010 para 6.936 em 2012
 

O número de infrações por problemas sanitários em bares, restaurantes e supermercados da cidade do Rio de Janeiro aumentou 40% entre 2010 e 2012. Segundo dados da Vigilância Sanitária Municipal, os autos de infração passaram de 4.922 em 2010 para 6.936 em 2012.

 

 

 

O número de interdições aumentou 23%, ao passar de 722 em 2010 para 891 em 2012. Em 2013, já foram feitas 2.753 autuações e 298 interdições. Segundo a Vigilância Sanitária, os principais problemas são a falta de limpeza, a presença de pragas como ratos e baratas e alimentos impróprios para o consumo.

 

De 2010 a 2012, cerca de 30 toneladas de alimentos foram inutilizados pela Vigilância Sanitária, por ano, por serem considerados impróprios para o consumo. O aumento das denúncias contra bares, restaurantes e supermercados preocupa a Comissão de Segurança Alimentar da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).

 

Segundo a presidenta da comissão, deputada estadual Lucinha (PSDB), a Alerj decidiu fazer blitze de 15 em 15 dias, em conjunto com com as vigilâncias sanitárias dos municípios fluminenses, com o objetivo de vistoriar os locais que receberam o maior número de denúncias. “É fundamental dar garantia à população de que há uma preocupação das autoridades”, disse a deputada.

 

A primeira blitz conjunta ocorreu nesta segunda-feira (13/05) em estabelecimentos da região central da cidade. Logo na primeira inspeção, em um supermercado do bairro da Glória, foi observada falta de higiene na manipulação de alimentos como carnes e ausência da data de validade em alguns alimentos. Muitos deles também eram mantidos em contato direto com o piso e não em plataformas elevadas, como é determinado pela legislação.

 

Adélio Gonçalves, de 44 anos, fazia compras no mercado no momento da fiscalização. “É muito difícil você chegar a um supermercado e não encontrar nenhum tipo de irregularidade. É uma constante aqui no Rio. A gente procura um que tenha menos irregularidades. Além disso, presto atenção na embalagem e na data de validade. Vejo se o produto não está em contato com outro que possa contaminá-lo, com o chão ou que estão diretamente expostos”, disse.

 

Consumidores que quiserem denunciar problemas sanitários no comércio de alimentos na cidade do Rio de Janeiro podem ligar para o disque denúncia da comissão (0800-2820376) ou para o telefone da prefeitura (1746).

 

Agência Brasil

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.