Lapa inaugura coleta subterrânea de lixo

Lixeira usada em países europeus traz melhorias ambientais ao permitir o acondicionamento seguro do lixo
 

A Comlurb começa a operar nesta quinta-feira (23/05) o novo sistema de coleta de lixo na Lapa. Localizada na Praça Cardeal Câmara, entre as ruas dos Arcos e Mem de Sá, a primeira lixeira subterrânea operada pela Prefeitura do Rio é um projeto piloto que permite o armazenamento de forma segura e evita que o lixo seja arrastado pela chuva ou rasgado por animais. Além de eliminar a possibilidade de contato entre agentes externos e o lixo, a lixeira subterrânea tem uma bomba automática que direciona o material diretamente para a rede de esgoto, evitando o mau cheiro no entorno. 

 

De acordo com o secretário municipal de Conservação e Serviços Públicos, Marcus Belchior, o equipamento conta com um dispositivo revolucionário capaz de avisar ao Centro de Operações Rio e a Comlurb quando encontra-se no limite:

 

“Com isso, otimizamos a logística de operação da Comlurb, acabamos com a poluição visual e afastamos todos os agentes externos como animais e a chuva. Implantamos o conceito “cidade inteligente”, que tem grande credibilidade na Europa e foi a solução para diversos países, que é enterrar o lixo através de um contêiner subterrâneo compactador.”

 

Com um reservatório de 5 m³, equivalente a uma caçamba tradicional, e um inovador desenho desenvolvido pelo designer carioca Zanini de Zanine, o equipamento conta com um grande diferencial: a capacidade de compactar o lixo, estocando até 25 m³ de material. O reservatório equivale a 104 contêineres de cor laranja utilizados pela Comlurb para o descarte do lixo nas ruas da cidade.

 

O presidente da Comlurb, Vinícius Roriz, enumerou as vantagens desse novo sistema de coleta de lixo:

 

“A primeira melhora e mais objetiva é o ordenamento do lixo. Esse sistema impede que o lixo se espalhe e fique mal acondicionado na rua. Além disso, tem vantagens ambientais, porque é um sistema que gera menos ruído, ordena o lixo e tem sensores que avisam quando o equipamento está cheio, diminuindo a logística de coleta desse lixo. Só buscamos quando, de fato, ele está no momento de ser recolhido. Isso diminui o trânsito na cidade, porque reduz o número de caminhões circulando, além dos custos e da poluição.”

 

Operada de forma elétrica, a lixeira funciona como uma espécie de elevador para que a coleta possa ser feita pelo caminhão. O projeto foi desenvolvido em parceria com a empresa Conter, que possui sociedade com a italiana ORG, pioneira na instalação desse tipo de equipamento no continente europeu. Atualmente existem lixeiras subterrâneas na Zona Portuária, que são de responsabilidade da concessionária Porto Novo.

 

Informações da assessoria

0 comentários