Papa Francisco visitará a primeira capela da comunidade Varginha

Esta será a segunda vez que um papa vem ao Brasil e visita uma favela carioca. A última aconteceu há 33 anos, quando o papa João Paulo II visitou a favela do Vidigal, na Zona Sul, em 1980
 

A pequena capela, inaugurada em 1971, foi a primeira a ser construída na comunidade da Varginha, no Complexo de Manguinhos. Em julho, no mesmo mês em que completa 42 anos, vai receber um presente inesquecível: a visita do Papa Francisco. Segundo a agenda divulgada pelo Vaticano, o Santo Padre fará a visitia no dia 25 de julho.

 

“Isso foi um dom de Deus. Quando foi eleito, o Papa disse que os cardeais foram buscar alguém no fim do mundo para se tornar Papa. Do mesmo modo, Deus quis que o Papa escolhesse uma comunidade pequena e esquecida para visitar. Isso é o projeto de Jesus, contemplar os mais humildes e necessitados.”, disse o padre Márcio Queiroz, de 44 anos, pároco da Capela São Jerônimo Emiliani, localizada na comunidade Varginha, no Complexo de Manguinhos, na Zona Norte.

 

O papa será acolhido pelo pároco, pelo vice-pároco, pelo vigário episcopal e pela superiora das Irmãs da Caridade, e se dirigirá até à Capela São Jerônimo Emiliani, onde encontrará alguns membros da comunidade paroquial.

 

 

Na capela, após um momento de oração, o Santo Padre vai abençoar o novo altar e oferecer um presente à comunidade. Em seguida, o papa vai caminhar cerca de 100 metros até um campo de futebol, onde dará a bênção aos moradores da favela. Ao longo do percurso, o Papa vai visitar a casa de uma família, onde fará um discurso.

 

 

Seu José Oliveira tem 67 anos e há 30 é um dos guardiões da Capela São Jerônimo. Além de participar das missas, seu José ajuda a manter a igrejinha conservada. Morador da comunidade da Varginha há 32 anos, ele nunca imaginou que um dia fosse ver o papa tão de perto.

 

“Quando vi a notícia, fiquei eufórico, foi uma felicidade só pra mim! Ninguém nunca pensou que isso fosse acontecer, por existirem outras paróquias, em lugares nobres e nós sermos uma comunidade tão pequena e tão simples. Os moradores todos vão estar presentes, mesmo os que têm outra religião vão querer ver o Papa de perto.”, garantiu seu José.

 

 

Varginha é uma comunidade pequena, com cerca de 2.500 moradores e está situada às margens da Avenida Leopoldo Bulhões, via que ficou conhecida como a “Faixa de Gaza” carioca, devido aos conflitos que existiam antes da pacificação entre traficantes de diferentes facções criminosas e policiais. Vivendo outro momento desde que recebeu uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), em janeiro desde ano, os moradores do Complexo de Manguinhos, que antes sofriam com a guerra armada, vão poder desfrutar de um momento de paz e muita emoção.

 

“Fiquei muito feliz e emocionada quando soube da visita. Não imaginava que teríamos condições de receber um Papa, mas tinha esperanças. Finalmente acharam a Varginha. Sempre foi muito difícil para nós, moradores, conseguirmos as coisas aqui. A própria capela ficou em reforma durante quase dois anos, porque não tínhamos recursos.”, contou Ana Cláudia Oliveira, de 35 anos.

 

 

Outra igrejinha também pode vir a receber a benção do papa. Construída há 15 anos por cinco moradoras da comunidade, a Capela São Sebastião chegou a reunir muitos fiéis, quando a Paróquia de São Jerônimo estava fechada para obras. Uma das moradoras que ajudou na construção, Ana Alves de Souza, de 76 anos, mora na comunidade há 36 anos e se emociona ao falar sobre a visita do Papa Francisco.

 

“Deus me abençoou de poder viver esse dia de glória e ver o papa aqui na minha comunidade. Achei que fosse brincadeira. A segunda pessoa, depois de Deus, vai vir aqui, um lugarzinho tão pobre? Mas a gente vê no jeitinho dele, ele passa tranquilidade. É muita alegria, será que meu coração vai aguentar.”, ressaltou Dona Ana.

 

 

Esta será a segunda vez que um papa vem ao Brasil e visita uma favela carioca. A última aconteceu há 33 anos, quando o papa João Paulo II visitou a favela do Vidigal, na Zona Sul, em 1980.

 

 

Informações da assessoria

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.