Prefeitura ganha apoio da força policial durante as fiscalizações contra o transporte irregular

Antes, homens do Batalhão de Choque da PM apoiavam as operações, principalmente na função de “batedores” dos veículos da coordenadoria e do Detro
 

Quase dois meses após a implantação das fiscalizações contra o transporte irregular no município do Rio de Janeiro, a Coordenadoria Especial de Transporte Complementar da Prefeitura decidiu contar agora com apoio ostensivo da Polícia Militar durante as operações. A nova metodologia de trabalho acontece em função de episódios de afrontas de motoristas à fiscais da coordenadoria. Nesta quinta-feira (09/05), durante mais uma blitz, um motorista foi preso na Avenida Dom Helder Câmara, na altura do Norteshopping, no Cachambi, depois de ameaçar e desacatar o major Uirá Nascimento, coordenador que participava da ação. O homem foi encaminhado para a 23ª DP (Méier), onde foi autuado por desobediência e resistência.

Antes, homens do Batalhão de Choque da PM apoiavam as operações, principalmente na função de “batedores” dos veículos da coordenadoria e do Detro. Agora os policiais seguem armados com fuzis para combater qualquer tipo de distúrbio.

– Percebemos, principalmente na Zona Oeste, que os motoristas estavam desrespeitando os fiscais, apesar de serem policiais, mas não estarem exercendo a função no momento. Entendemos que sem a força policial em determinados locais fica complicado fazer a fiscalização – afirmou o delegado Cláudio Ferraz, coordenador Especial de Transporte Complementar.

Próximo de completar dois meses de operações e um mês da determinação da prefeitura de proibir a circulação de vans na Zona Sul, a coordenadoria já contabiliza a apreensão de mais de mil veículos em todo o município do Rio de Janeiro. Os bloqueios nos principais pontos da Zona Sul continuam. No último dia 09, uma van pirata que seguia do bairro Bancários, na Ilha do Governador, para o Leblon, foi interceptada pelos fiscais na Praia de Botafogo. Ela foi apreendida e levada para um depósito do Detro.

 

Governo do Rio

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.