Raio-x da Saúde: modernização da rede é exemplo para o país

Hospitais especializados e programas inovadores são referências de atendimento no Rio de Janeiro
 

 

A inauguração de hospitais especializados e a implantação de programas e serviços inovadores são alguns marcos da modernização da rede estadual. Durante esta semana, a série de reportagens Raio-x da Saúde irá mostrar como investimentos em infraestrutura e equipamentos de última geração estão beneficiando a população de todo o Estado do Rio.

 

Nos próximos anos, o Estado investirá na construção de novas unidades, entre hospitais especializados e centros de traumas e de imagem. As novidades na área irão ampliar a qualidade da rede pública estadual, que hoje é referência em especialidades como Traumatologia, com o Hospital Dona Lindu, em Paraíba do Sul, e o Centro Estadual de Trauma do Idoso (Ceti), no Rio; Saúde da Mulher, com os hospitais da Mulher, em São João de Meriti, e o da Mãe, em Mesquita; e Pediatria, com o Hospital da Criança, em Vila Valqueire.

 

“Sofri uma queda e fui atendida imediatamente no Centro de Trauma do Idoso. Como fraturei a perna, precisava ser operada o que aconteceu em 72 horas. Isso foi importante para garantir a minha qualidade de vida. Me senti uma paciente VIP.”, disse a aposentada Sandra Passos, de 64 anos.

 

Serviços de diagnóstico mais acessíveis

 

 

Outros destaques da saúde fluminense são os serviços de diagnóstico avançado por imagem, oferecidos a moradores de todo o estado no Rio Imagem e em unidades móveis que percorrem municípios fluminenses e realizam exames de tomografia e ressonância. Programas especializados, como o de Cirurgia Bariátrica, que funciona no Hospital Carlos Chagas, e o de Transplantes, estão entre as conquistas que ajudam a melhorar a qualidade de vida de pacientes.

 

Implantado no Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, em Duque de Caxias, o S.O.S Reimplante também é exemplo de projeto inovador criado pela Secretaria de Saúde. A iniciativa tem garantido a recuperação de pacientes que sofrem graves acidentes, como o auxiliar de serviços gerais José Demócrito. Há dez meses, ele passou por uma cirurgia de reimplante através do S.O.S., após sofrer um acidente de trabalho com uma ferramenta elétrica, que decepou quatro dedos de sua mão esquerda.

 

“Achei que perderia a minha mão. Não acreditei que tudo voltaria ao normal. Toda a recuperação foi bem rápida.”, afirmou José, de 49 anos, que agora faz terapia ocupacional.

 


Bebês cardiopatas são salvos

 

Aos dois meses de idade, Sophia Vitória de Oliveira foi diagnosticada com uma grave má formação no coração. Após exames, a menina foi encaminhada para um dos mais modernos hospitais materno- infantil do Rio de Janeiro, a Perinatal Barra da Tijuca.

 

No último dia 14 de maio, Sophia foi operada e se tornou a 650ª criança a ter a vida salva graças ao Programa de Cirurgia Cardíaca Neonatal e Pediátrica. A parceria firmada em 2009 entre a Secretaria de Saúde e o Grupo Perinatal têm garantido o padrão de excelência no estado.

 

“Quando descobri que a minha filha tinha um grave problema no coração, fiquei com muito medo de perdê-la. Salvaram a vida dela.”, disse a mãe da menina, Vanessa Veríssimo.

 

Por meio do programa, 60% da demanda do estado já foi atendida. A taxa de sobrevida após as cirurgias, de 93%, está entre as melhores do mundo.

 

Informações da assessoria

0 comentários