Sindicato denuncia que empresas terceirizam distribuição de combustível no Rio

Lígia Deslandes, presidenta do sindicato, denunciou que algumas empresas maiores transferem a distribuição de derivados de petróleo para empresas menores
 

O Sindicato dos Trabalhadores do Comércio de Minérios Derivados de Petróleo do Estado do Rio (Sitramico-RJ), quer acompanhar a fiscalização anunciada nesta sexta-feira (24/05) pelo prefeito de Duque de Caxias, Alexandre Cardoso, nas empresas de distribuição de combustível instaladas no município. A presidenta do sindicato, Lígia Deslandes, denunciou que algumas empresas maiores transferem a distribuição de derivados de petróleo para empresas menores com a finalidade de reduzir os custos e essas distribuidoras acabam trabalhando sem itens básicos de segurança.

 

“Muitas delas não cumprem a Convenção Coletiva de Trabalho e e não pagam os benefícios que os trabalhadores têm direito. O caso mais grave é que as empresas teriam de ter operadores qualificados [com treinamento e cursos específicos] para operar os mangotes a fim de colocar o combustível dentro dos caminhões. O serviço é feito pelos próprios caminhoneiros sem nenhum preparo para o abastecimento”, disse.

 

Lígia Deslandes declarou ainda que essa operação coloca em risco a segurança das empresas. O caminhoneiro não tem qualificação, entra no pátio da distribuidora com chinelo de dedo, sem uniforme adequado, colocando em risco toda a manobra. Segundo ela, o Sindicato das Empresas Distribuidoras de Derivados de Petróleo (Sindicom), “conseguiu uma liminar na Justiça, em vigor até hoje, permitindo que a manobra do combustível seja feita pelos caminhoneiros”.

 

O incêndio na distribuidora de combustíveis Petrogold, em Duque de Caxias, que durou todo o dia, no fim da noite ainda apresentava focos de fogo. Quatro quarteirões nas imediações da distribuidora permanecem interditados pela Defesa Civil Estadual. As famílias das casas interditadas não sabem onde vão passar à noite, mas um abrigo foi montado próximo ao local do incêndio.

 

Em nota, a concessionária de energia Ampla informou que, por medida de segurança, o fornecimento de energia foi interrompido na região. A concessionária aguarda a autorização do Corpo de Bombeiros para recuperar o trecho da rede atingido e normalizar o serviço.

 

Agência Brasil

0 comentários