Unidade de internação de jovens terá fiscalização mais rigorosa para evitar fugas no Rio

O Departamento Geral de Ações Socioeducativas irá adotar medidas mais rigorosas nas rondas
 

O Departamento Geral de Ações Socioeducativas (Degase) anunciou nesta segunda-feira (13/05) que irá adotar medidas mais rigorosas nas rondas de rotina da Escola João Luiz Alvez, uma das unidades de internação de jovens infratores do órgão localizada na zona norte.

 

A informação foi divulgada pelo diretor do Degase, Alexandre Azevedo, depois da tentativa de fuga de três internos no último sábado (11/05). Os adolescentes agrediram um agente quando ele abriu o portão de um dos anexos da escola para separar uma briga entre os internos. Um dos adolescentes conseguiu fugir.

 

Azevedo admitiu que a unidade funciona acima da capacidade máxima de internos, e que espera melhorar a situação com a chegada de novos concursados. Segundo ele atualmente a Escola João Luiz Alvez tem 132 adolescentes cumprindo medidas socioeducativas, quando a capacidade é de até 120. “Estamos com uma sobrecarga, mas ainda faltam muitos funcionários que irão chegar. Vamos receber daqui a dois meses mais 70 funcionários”.

 

Essa foi a segunda tentativa de fuga na Escola João Luiz Alvez em menos de dez dias. No dia 5 de maio, nove internos fugiram. Na ocasião, os adolescentes fizeram uma rebelião e arrebentaram os cadeados das salas. Até hoje, apenas um foi capturado.

 

“Na vontade de resolver a confusão entre os [internos], o agente cometeu o equívoco de abrir o portão sozinho. Ele deveria ter esperado reforço e, aí sim, ter iniciado a abordagem. Não podemos permitir esse tipo de conduta. Temos de ser mais rigorosos e atentos nessas questões” disse Azevedo.

 

O funcionário agredido foi levado para o hospital Paulino Werneck e em seguida encaminhado para a 37ª DP na Ilha do Governador, onde prestou depoimento e foi liberado.

 

Agência Brasil

0 comentários