Efetivo da Polícia Militar será ampliado para a Copa das Confederações

Reforço policial durante os jogos da competição contará com mil homens
 

O reforço policial para a Copa das Confederações nos três jogos que o Rio de Janeiro sediará contará com mil policiais militares. Deste total, 350 homens do Grupamento Especial de Policiamento em Estádios (Gepe), do Batalhão de Choque (BPChoque) e do Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais) estarão dedicados à segurança interna do estádio do Maracanã e 650 patrulharão seu entorno com apoio do Regimento de Polícia Montada e do Batalhão de Ações com Cães (BAC), com 52 viaturas e dois helicópteros do Grupamento Aéreo.

 

As informações foram divulgadas, nesta sexta-feira (14/6), em coletiva de imprensa sobre o planejamento de Segurança Pública para a Copa das Confederações, no Centro Aberto de Mídia, no Forte de Copacabana.
O efetivo da PM na capital também inclui cerca de 1,4 mil homens, que desde o dia 9 de junho estão dedicados diariamente a ações operacionais vinculadas ao campeonato, além dos PMs que já fazem o policiamento ostensivo ordinário.

 

 

De acordo com o tenente-coronel Marcelo Rocha, chefe do setor de Planejamento Operacional da Polícia Militar, a corporação, em integração com as demais forças de segurança, tem se empenhado para garantir que a Copa das Confederações na cidade carioca seja um sucesso.

 

 

– Os dois testes serviram para que a Polícia Militar pudesse produzir relatórios sobre o seu efetivo e a partir daí foram feitos ajustes necessários – disse Rocha.

 

 

Reforço dos Bombeiros e da Defesa Civil

Já o Corpo de Bombeiros convocará 150 bombeiros e 50 agentes da Defesa Civil, nos dias de jogo, no estádio do Maracanã e no seu entorno. Além disso, até o dia 2 de julho, a corporação contará com reforço de aproximadamente 60% de seu efetivo diário. O objetivo é diminuir o tempo resposta dos atendimentos com a atuação de cerca de 1,1 mil militares. A orla terá um aumento de 100 guarda-vidas e o auxílio de 27 embarcações. Dois helicópteros também serão usados, sendo uma aeronave exclusivamente para atendimentos médicos.

 

 

De acordo com o superintendente extraordinário para Grandes Eventos da Secretaria de Defesa Civil, coronel Wanius Amorim, a rotina operacional na cidade não será afetada, uma vez que os militares atuarão no reforço fora do horário de serviço, por meio do RAS (Regime Adicional de Serviço).

 

 

No Rio de Janeiro, cerca de 9 mil agentes das forças de segurança estarão atuando por dia durante a Copa das Confederações, segundo a assessoria da Secretaria Extraordinária de Segurança para os Grandes Eventos do governo federal.

 

Agência Brasil

0 comentários