Intercâmbios promovem aperfeiçoamento de servidores do estado do Rio

Funcionários da Fazenda, Segurança, Educação e Saúde se qualificam com especialistas
 

Como o aperfeiçoamento profissional depende de qualificação, servidores do Estado são cada vez mais estimulados a voltar aos bancos escolares. Diversas secretarias promovem ou fazem a intermediação de cursos fora do país. Funcionários da Fazenda, Educação, Saúde e Segurança já carimbaram os passaportes ou foram qualificados por especialistas internacionais.

 

 

Prestes a completar quatro anos de existência, o Escritório de Assuntos para a Copa do Mundo 2014 e Jogos Olímpicos 2016 já fomentou mais de 60 intercâmbios internacionais entre a Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro e polícias de Israel e de países na América do Sul, na América do Norte e na Europa. No total, cerca de dois mil PMs já foram capacitados por corporações de outras nações, no exterior ou no Brasil.

 

Segundo o tenente-coronel Edison Duarte, chefe do escritório, o objetivo é proporcionar a experiência para a administração de incidentes e crises durante os grandes eventos.

 

“Em quatro anos, demos oportunidades de treinamento a muitos policiais, que conheceram técnicas estrangeiras que podem ser adaptadas à nossa realidade”, disse Duarte.

 

A partir do mês que vem, policiais militares do Rio farão cursos com a Polícia Nacional do Panamá; com a Guarda Costeira Americana; com a Polícia Nacional da Colômbia e com a Marinha dos Estados Unidos. Em novembro, um grupo de policiais das Companhias Republicanas de Segurança, da França, terão treinamento no Batalhão de Choque (BPChoque).

 

A Secretaria de Saúde já enviou 27 profissionais da Subsecretaria de Unidades Próprias para capacitações internacionais, em parceria com as Universidades de Maryland e Miami. Os profissionais assistiram a aulas e cursos relacionados ao atendimento ao trauma.

 

Coordenador de Traumas e Núcleos da Secretaria de Saúde, Rogério Casemiro afirmou que a viagem estabeleceu os procedimentos do primeiro Centro de Traumas do Brasil, o do Hospital Estadual Alberto Torres, em São Gonçalo.

 

“Como não existe esse modelo aqui, fomos buscar fora”, afirmou Casemiro.

 

Na Universidade de Maryland, médicos e enfermeiros foram treinados por profissionais do Shock Trauma Center Adam Cowley, referência nos Estados Unidos para atendimento ao presidente Barack Obama, e do Children’s National Medical Center, em Washington.

 

Profissionais estaduais se destacam no exterior.

 

A Secretaria de Fazenda investe no programa Minerva, através do curso Teoria e Operação da Economia Moderna Mundial, na Universidade George Washington, em Washington DC. O analista de finanças Roberto Gomides, de 28 anos, foi o melhor aluno no primeiro semestre desse ano.

 

“Visitamos agências multilaterais, o Banco Mundial e o Congresso”, disse Roberto.

 

Professora de inglês e português da rede estadual há 14 anos, Carla Vianna, de 39, fez as provas do Programa de Desenvolvimento Profissional para Professores de Língua Inglesa nos Estados Unidos.

 

“Ganhei na ‘Mega Sena’ dos professores de inglês. Vamos conhecer a cultura e a metodologia”, afirmou Carla.

 

Governo do Estado

0 comentários