Moradores de São Gonçalo, no Rio, ganham centro hospitalar para pacientes com traumas graves

A unidade terá uma equipe médica formada por ortopedista, cirurgião geral e vascular, anestesista, neurocirurgião, cirurgião pediátrico com formação em trauma e cirurgião torácico
 

O Hospital Alberto Torres, em São Gonçalo, na região metropolitana do Rio, ganhou o primeiro núcleo de atendimento a pacientes com traumas graves. Antes, eles eram transferidos para um hospital próximo. O núcleo tem capacidade de fazer 200 cirurgias por mês.

 

 

De acordo com o coordenador de Trauma e Núcleos especializados da Secretaria Estadual de Saúde, Rogério Casemiro, evitar a transferência de um paciente grave é importante para diminuir o risco de morte. “Os estudos mostram que as vítimas precisam ser socorridas em até uma hora, a chamada hora de ouro, após a ocorrência de trauma. Depois disso, o risco de morte tende a aumentar.

 

 

A unidade terá uma equipe médica formada por ortopedista, cirurgião geral e vascular, anestesista, neurocirurgião, cirurgião pediátrico com formação em trauma e cirurgião torácico. No total, serão 55 médicos, 26 enfermeiros e 102 técnicos de enfermagem. O núcleo de atendimento tem três salas cirúrgicas, uma sala de tomografia exclusiva com cinco leitos de recuperação pós-anestésica, 35 leitos para tratamento intensivo, quatro leitos de observação e um heliponto para receber casos urgentes.

 

Agência Brasil

0 comentários