Perigo no trânsito: Ladrões atacam disfarçados de ambulantes

O crime vem acontecendo perto da Central do Brasil
 

 

Aparentando serem menores de idade, alguns jovens com mochila na parte da frente do corpo e sempre com uma caixa de balas ou biscoitos  na mão descem para a pista, misturando-se ao trânsito e aos ambulantes que aproveitam a hora do rush para vender suas mercadorias. É assim, em meio à multidão, que os bandidos investem contra os motoristas ao volante, e levam celulares por uma fresta aberta pelo motorista, ao ser ameaçado, da janela do carro. O falso vendedor então foge em direção à estação de trem e, 20 minutos depois, lá está ele de volta, pronto para um novo bote.

 

 

Este flagrante foi feito por repórteres do jornal O GLOBO que, durante três dias, acompanharam a ação de punguistas no entorno da Central do Brasil. Tudo acontece ao lado da 4ª DP e da sede da Secretaria de Segurança Pública do estado. A maioria dos ataques é de adolescentes, que trocam de camisa ainda nas pistas para evitar um possível reconhecimento. As mercadorias roubadas são repassadas para ambulantes que as revendem ali mesmo.

 

 

Segundo a polícia, quando capturados, esses infratores — menores ou não — retornam às ruas por falta do registro de ocorrência e depoimento da vítima. Se, durante o dia, os ladrões se misturam ao confuso trânsito para atacar, à noite, eles se aproveitam da má iluminação e das ruas desertas no entorno da Central. Muitas das vítimas são estudantes da Faculdade Nacional de Direito da UFRJ, no Centro, que lançaram uma petição online para protestar contra a violência e exigir segurança, que já tem 1.643 assinaturas.

 

 

O Instituto de Segurança Pública (ISP) constatou um aumento de apenas 4,59% nos roubos na área, nos três primeiros meses deste ano (957 casos contra 915 em 2012). Já apreensões de menores passaram de 46 para 85, no mesmo período. Segundo a PM, o problema se agravou com a migração de viciados em crack do Parque União para a região.

0 comentários