Projetos de cinco municípios fluminenses vencem Prêmio Rio Sociocultural

Selecionados entre os dez finalistas por um júri composto por representantes das instituições patrocinadoras e apoiadoras do prêmio, os cinco projetos receberão R$ 10 mil cada
 

Os cinco projetos vencedores da quarta edição do Projeto Rio Sociocultural foram anunciados na terça-feira (25/06), em cerimônia no Teatro João Caetano, no centro do Rio de Janeiro. Os escolhidos foram os projetos Agência de Redes para Juventude, do Rio de Janeiro; Jurujuba – Pescando Sonhos, de Niterói; Luar de Dança, de Duque de Caxias; Idosos com Amor, de Cabo Frio; e Trem Cultural, de Casimiro de Abreu.

 

Selecionados entre os dez finalistas por um júri composto por representantes das instituições patrocinadoras e apoiadoras do prêmio, os cinco projetos receberão R$ 10 mil cada. A verba vai se somar aos R$ 5 mil que cada projeto havia recebido, juntamente com os demais finalistas.

 

Iniciado em 1990 em uma igreja de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, com a participação de 16 adolescentes, o projeto Luar de Dança conta hoje com 1.500 alunos, entre crianças, jovens e adultos. Além das aulas de ballet clássico e dança moderna, eles recebem reforço escolar, oficinas de cultivo de horta familiar e de alimentação saudável. “Trouxemos a arte como elemento fortalecedor e transformador da realidade, mas nosso maior resultado será a influência desse trabalho na vida adulta desses jovens”, disse o coordenador do projeto, Deco Batista.

 

Com atuação há três anos em 17 favelas do município do Rio, o projeto Agência de Redes para Juventude agrega jovens que são incentivados a criar, implementar e manter ações em suas comunidades. A cada ciclo do projeto, 300 jovens ganham uma bolsa de criação no valor de R$ 100, para desenvolver suas ideias por um período de quatro meses. As melhores propostas recebem R$ 10 mil para serem implementadas nas comunidades.

 

Do outro lado da Baía de Guanabara, o projeto Jurujuba – Pescando Sonhos envolve 100 crianças e adolescentes, em sua maior parte filhos de pescadores da colônia de Jurujuba, em Niterói. O objetivo é melhorar o rendimento escolar e diminuir a taxa de evasão, por meio de oficinas de reforço, dança e artesanato.

 

Na Região dos Lagos, o projeto Idosos com Amor há 13 anos atende a 110 idosos carentes de Cabo Frio, tendo como foco a inclusão e o resgate da cidadania. Além de receberem atendimento médico e psicológico, eles participam de atividades como o projeto literário Caderno de Contar Histórias, em que relatam suas memórias.

 

Na mesma região, o projeto Trem Cultural, do município de Casimiro de Abreu, se inspirou nos famosos Doutores da Alegria para levar o humor às crianças internadas nos hospitais da região, por meio da distribuição de livros e da contação de histórias. Mais de 500 crianças são assistidas a cada mês pelo projeto.

 

Criado em 2009 com objetivo de contemplar ações que contribuam para o crescimento social e o aumento da autoestima das comunidades, o Prêmio Rio Sociocultural bateu nesta edição o recorde de inscrições, com 387 projetos de 69 municípios fluminenses.

 

Agência Brasil

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.