Bibliotecas parque irão se capacitar para atender deficientes visuais

Curso de informática prepara melhor os funcionários dos espaços culturais
 

Funcionários das bibliotecas parque do Estado do Rio irão se preparar para atender melhor o público com deficiência visual. Em parceria com o Instituto Benjamin Constant (IBC), a Superintendência de Leitura e Conhecimento, da Secretaria de Cultura, oferece até sexta-feira (05/07) o curso Programa de Informática para Deficientes Visuais.

 

“É papel das bibliotecas públicas abrir caminhos de convivência. Nesse sentido, o curso fornecerá uma gama de informações importantes para funcionários das bibliotecas parque e membros da equipe da superintendência. São conhecimentos necessários para que todos os usuários possam ter, cada vez mais, acesso ao nosso acervo. E para que funcionários estejam preparados para receber todos os públicos”, disse a coordenadora de Acervo e Leitura da superintendência, Vera Schroeder.

 

Para José Francisco de Souza, que desde 1999 atua como professor de Informática Adaptada, no IBC, o curso é importante para que as pessoas de baixa visão e os cegos possam ter garantido seu acesso à informação, à comunicação, ao trabalho, à educação, à cultura e ao lazer, conforme define o artigo 17 da lei 10.098.

 

“É fundamental que os deficientes visuais possam ter acesso a esse mundo, também. Isso nos possibilita autonomia e independência para estudar, trabalhar, para nos divertirmos, para vivermos. É importante que os espaços públicos e privados desse país sejam preparados para receber bem esse público e saber lidar com ele”, afirmou Francisco.

 

Nas bibliotecas estaduais do Rio de Janeiro, esse acesso é garantido ao público deficiente visual. A Biblioteca Parque da Rocinha conta com 31 títulos de livros em braile, tem equipamentos que digitalizam os livros para braile e para fala. Por sua vez, a Biblioteca Parque de Manguinhos tem 302 títulos em braile, 107 livros falados e equipamentos que digitalizam livros para fala. Enquanto isso, a Biblioteca Pública de Niterói tem 164 títulos em braile, 143 livros falados, aparelhos de áudio-vídeo e que digitalizam livros para fala.

 

Governo do Estado

0 comentários