Curso de motofretista oferecido encerra com 100% de adesão

Novas turmas terão início na segunda-feira, 22 de julho
 

MotoqueirosA nova edição do curso de especialização de motofretistas, oferecido pelo Detran, e ministrado por policiais de UPPs, em 22 comunidades pacificadas, encerrou nesta quinta-feira, 18 de julho, com todas as 570 vagas preenchidas. Com a capacitação, os motociclistas que frequentaram as aulas estão habilitados a exercer legalmente a profissão, a partir 1º de setembro, quando, no Estado do Rio, a fiscalização passará a exigir o cumprimento da Lei Federal 12.009/09, que determinou a obrigatoriedade do curso.

Durante uma semana, os motofretistas participaram de aulas em sedes de UPPs e Batalhões da PM, com aulas de “Ética e cidadania na atividade do profissional motociclista”; “noções básicas de legislação, gestão do risco sobre duas rodas”; “segurança e saúde”; “legislação específica da atividade, procedimentos para o transporte de cargas e logística”; e “prática de pilotagem profissional” (5h).

– Essa lei federal veio para regulamentar essa profissão de motofretista, que antigamente, assim como o motoboy ou o mototaxista, trabalhava como autônomo sem benefícios – afirmou o Soldado Guimarães, um dos instrutores do curso.
Luiz Ricardo Pereira da Silva trabalha como motofretista há dois anos, transportando peças de informática. Ele conta que no início decidiu participar do curso, porque era obrigatório, no entanto, depois de ter assistido todas as aulas, mudou de opinião.

 

– Você aprende a ser mais cauteloso, a lidar melhor com o trânsito. O curso te proporciona isso, mais cautela, mais calma. Ensina a ter uma dinâmica melhor de trabalho. O curso vale a pena. A gente acaba vindo por obrigação, mas acaba virando uma coisa satisfatória – declarou.

 

Leandro Azeredo, motoboy há dois anos, soube do curso por meio dos amigos da empresa onde trabalha, que já tinham participado em turmas anteriores, e que tinham gostado das aulas da UPP da Formiga.

 

– A gente chega aqui achando que já sabe tudo, mas na verdade não é. Temos noções de direção defensiva que a gente só tem por instinto, como se comportar no trânsito, enfim, um monte de coisas que realmente a gente pensa que sabe, mas sabe muito pouco.

 

O curso de motofretista também é o primeiro passo para buscar melhorias para a profissão. Jeferson Fernandes da Silva, motoboy há nove anos, diz que a demanda está crescendo muito. No entanto, muita coisa precisa melhorar e ele espera que agora as coisas comecem a mudar.

– Estamos fazendo esse curso para saber o que vai melhorar para a gente – afirmou.

 

  • As próximas turmas do curso deverão ser iniciadas na próxima segunda-feira, dia 22 de julho. Para se inscrever, os motofretistas terão de atender os seguintes requisitos: terem, no mínimo, 21 anos de idade; estarem habilitados na categoria A (de motociclista) por, pelo menos, dois anos; não estarem respondendo a processo de suspensão ou cassação da carteira de motorista; terem bons antecedentes criminais; e terem remuneração não superior ao piso da categoria (atualmente, R$ 800).

Governo do Rio

0 comentários