Escola Maria Olenewa abre curso de balé para profissionais do Passinho

Um dos fundadores da Escola Livre do Passinho, Carlos Lúcio vê no projeto da escola de dança uma chance do gênero reforçar sua versatilidade
 

Estilo surgido nas periferias, o Passinho vai invadir uma das mais tradicionais instituições de dança do país. A Escola Estadual de Dança Maria Olenewa, vinculada ao Theatro Municipal do Rio de Janeiro, oferecerá um curso especial de balé clássico voltado para dançarinos de Passinho, a partir de quarta-feira (3/7). Depois do período de curso de férias, alunos que se destacarem serão selecionados para passar por testes e ingressar nos cursos regulares da casa, objetivando à formação completa de bailarino.

 

 

– Temos uma série de exigências para cursar balé clássico na escola, mas como esses dançarinos do passinho são especiais no sentido de que já têm uma história com dança e um gosto por essa arte, preparamos uma espécie de curso livre, para acontecer no período de férias. A finalidade é oferecer a eles até uma formação melhor para o passinho, porque o balé clássico dá uma base técnica muito boa para qualquer tipo de dança – disse a diretora da Escola de Dança Maria Olenewa, Maria Luisa Noronha.

 

 

Ao mesmo tempo, serão oferecidas também aulas de Passinho para os bailarinos matriculados na Maria Olenewa, em esforço de união entre o popular e o clássico.

– Essa aproximação sempre existiu. Temos, por exemplo, alunos de comunidades que participam de escolas de samba mirins, de maneira que já há um contato com outros estilos. E a escola dá “pinceladas” em outros tipos de dança, como por exemplo, danças teatrais e folclóricas para o palco. Nossos bailarinos profissionais nem sempre seguem as danças clássicas, temos vários ex-alunos em companhias de dança contemporânea de todo o mundo, por exemplo – explicou a diretora.

 

Um dos fundadores da Escola Livre do Passinho, Carlos Lúcio vê no projeto da escola de dança uma chance do gênero reforçar sua versatilidade.

– O passinho na verdade já nasceu da união de diversos estilos. Então, essa aproximação com a dança clássica é simplesmente mais uma chance de somar forças e adquirir mais conhecimento, de ambos os lados – afirmou Carlos.

 

Governo do Rio

0 comentários