Governo do Rio inicia campanha de combate ao tráfico humano

Para o coordenador da Área de Trabalho Escravo da Organização Internacional do Trabalho (OIT), Luiz Machado, a legislação brasileira ainda não está adaptada para a realidade do tráfico de pessoas
 

Para estimular o debate sobre o tráfico humano e o trabalho escravo na sociedade, o governo do Rio de Janeiro (RJ) se engajou no movimento internacional Gift Box, que utiliza caixas coloridas, em locais públicos, com relatos de vítimas e simulação do processo de aliciamento dos traficantes. O projeto, inédito no Brasil, começou na estação do teleférico de Bonsucesso, na zona norte da capital, e passará por, pelo menos, mais cinco locais até agosto.

 

O secretário de Assistência Social e Direitos Humanos, Zaqueu Teixeira, disse, em nota, que a campanha é importante para que o governo conscientize sobre o que é o tráfico de pessoas, porque as pessoas são iludidas com propostas de salários altos e, quando chegam nos locais prometidos, descobrem que foram enganadas. O objetivo, acrescentou Teixeira, é que as pessoas, quando se depararem com a caixa, percebam o impacto que é ser traficado e reflitam “que nem tudo são flores e que o mundo real”.

 

Para o coordenador da Área de Trabalho Escravo da Organização Internacional do Trabalho (OIT), Luiz Machado, a legislação brasileira ainda não está adaptada para a realidade do tráfico de pessoas. Segundo ele, os registros oficiais indicam cerca de 300 casos de pessoas traficadas.

 

A campanha passará, ainda, pelas estações Central do Brasil e Cinelândia, no centro do Rio; Duque de Caxias, na Baixada Fluminense; Copacabana, na zona sul; e Campo Grande, na zona oeste. A iniciativa servirá de teste para a maior divulgação durante a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016.

 

Agência Brasil

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.