Mutirão de cirurgias do Hospital Dona Lindu opera 30 pacientes

Essa é sétima edição da mobilização da unidade estadual de Paraíba do Sul
 

Cirurgias de pé e joelho foram o foco do 7º mutirão de cirurgias ortopédicas realizado no Hospital de Traumatologia e Ortopedia Dona Lindu, em Paraíba do Sul, nos dois últimos fins de semana (13 e 14/07 e 20 e 21/07). Ao todo, 30 pacientes foram operados.

Maria Helena Almeida, de 49 anos, moradora de Nova Friburgo, foi submetida a uma cirurgia no pé esquerdo e está confiante no sucesso do procedimento.
 

– Antes de vir para o hospital, escutei muitos depoimentos positivos do atendimento e dos resultados conquistados após a cirurgia. Vim confiante e estou muito feliz com o carinho e a atenção com que fui tratada. Além disso, acredito na qualidade e no conhecimento desta equipe. Sei que as dores que sinto no pé acabarão e vou poder ter uma vida normal – disse Maria.
 

A opinião da paciente só confirma o alto índice de satisfação do hospital, registrado em 97%. Integrante do grupo de especialistas em procedimentos de pé, o ortopedista Paulo Frederico de Carvalho ressaltou que a participação no mutirão é importante, possibilitando que a equipe realize diferentes procedimentos devido à diversidade de pacientes submetidos às cirurgias.

– Temos uma estrutura de alta qualidade e profissionais preparados para possibilitarem uma melhor qualidade de vida aos pacientes atendidos no Hospital Dona Lindu – disse o ortopedista.
 

Douglas Motta da Conceição, de 19 anos, morador de Engenheiro Paulo de Frontin, quebrou o pé há cerca de seis meses, após cair de uma altura de 10 metros. Foi encaminhado ao Dona Lindu para participar do mutirão.
 

– Sentia muitas dores e os médicos verificaram que era necessário operar. Estou muito feliz, pois quero poder voltar a trabalhar, dirigir e caminhar sem sentir dores. O atendimento aqui no hospital é muito bom. Tenho um amigo que já operou aqui e tinha me contado. Vi que tudo o que ele disse era verdade – contou Douglas.
 

O diretor-executivo da unidade, Artur Hummel, destacou a satisfação da equipe em promover melhores condições de vida aos pacientes que são atendidos no hospital nestes três anos de funcionamento.
 

– Ver a recuperação do paciente e suas declarações de confiança em nossa equipe motiva cada vez mais o comprometimento e a humanização da assistência – explicou o diretor.
 

Pacientes selecionados pelo SUS

O hospital conta com a certificação de qualidade da Organização Nacional de Acreditação – nível I Segurança e atua de acordo com o Protocolo de Cirurgia Segura, da Organização Mundial da Saúde (OMS). Respeitando o fluxo de cirurgias eletivas do SUS (Sistema Único de Saúde) no estado, os pacientes selecionados para o mutirão do Dona Lindu foram atendidos por ortopedistas nas Secretarias de Saúde de seus municípios e, após verificada necessidade cirúrgica, foram inseridos no Sistema Estadual de Regulação, que definiu o atendimento.

 

Governo do Rio

0 comentários