Oi Futuro apresenta “Hotel Fuck: num dia quente a maionese pode te matar”, espetáculo gaúcho inédito no Rio

Apresentações, de três horas cada, serão nos dias 2, 3 e 4 de agosto no centro cultural no Flamengo, com entrada franca
 

A Santa Estação Cia de Teatro, grupo gaúcho premiado, apresenta no Rio de Janeiro o espetáculo “Hotel Fuck: num dia quente a maionese pode te matar”, encerrando o projeto contemplado com o Prêmio Myriam Muniz de circulação da Funarte. As sessões ocorrem nos dias 02, 03 e 04 de agosto, no Oi Futuro no Flamengo, com entrada franca. As apresentações têm apoio cultural do Oi Futuro.

 

 

A chegada de Janaína Kremer no elenco é a novidade desta etapa do projeto de circulação. A atriz gaúcha participou em 2012 das filmagens do longa-metragem “O Tempo e o Vento”, dirigido por Jayme Monjardim, no papel de Bibiana, o mesmo personagem interpretado por Fernanda Montenegro.

 

 

O grupo iniciou a caravana nacional em julho de 2012, na cidade de Campinas. Segundo a diretora da companhia, Jezebel de Carli, a escolha das cidades foi marcada pela busca de referências que se identificam com a temática do espetáculo: “Curitiba, Campinas, São Paulo e Rio de Janeiro, tão distintas entre si, também são o ponto de interesse desta escolha, uma vez que o universo abordado pelo trabalho se passa em submundos, guetos, difusos e incorporados no desenho de centros urbanos. E é aí onde elas se parecem, cada uma com suas particularidades em cenário e personagens, mas com os mesmos medos e sombras”, afirma.

 

 

A montagem estreou em Porto Alegre, sede da companhia, em outubro de 2010. A caravana contempla 10 apresentações gratuitas nas quatro cidades, além de atividades formativas com Diones Camargo, dramaturgo do espetáculo.

 

 

Hotel Fuck está ancorado no diálogo entre a linguagem cinematográfica e teatral e tem como objetivo interferir nos espaços cotidianos da cidade sob a forma de um set de filmagem, com texto dramático de Diones Camargo e direção de Jezebel. A peça transita entre o teatro, o cinema e a rua. Apresentado ao espectador em cenas decupadas, longe de uma narrativa tradicional, a saga se completa em três horas: Episódio 1 – “Cavando a porta do inferno.”; Episódio 2 – “Uma temporada no paraíso.” e Episódio 3 – “Eles atiram em lobos.”

 

 

O espetáculo traz cenas de assassinato, roubo, sexo, intriga, humor, pitadas de efeitos especiais e personagens do submundo. Ambientado em uma ficção com referência na desconstrução “nonsense” de David Lynch, que ora faz lembrar os filmes de Quentin Tarantino e Robert Rodriguez, ora a estética dos quadrinhos de Frank Miller e Alan Moore.

 

 

O público acompanha de perto as gravações e os truques utilizados para a realização dos efeitos especiais do que seria um filme de ação, sexo e terror, com muito humor e amadorismo, típicos de uma produção de baixo orçamento. Os atores jogam além dos personagens do filme Hotel Fuck, as figuras do entorno, ou seja, a equipe técnica: diretor, produtor, diretor de fotografia, assistente, diretor de arte, figurinista, câmera, técnicos de luz e som etc., misturando realidade e ficção e jogando com as diferentes camadas que surgem dessa contaminação.

 

 

As apresentações no Rio de Janeiro têm entrada franca, e as senhas serão distribuídas a partir de 1h antes do evento, na bilheteria do local.

 

Assessoria de Imprensa

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.