Prefeitura do Rio lança edital Pró-Design 2013

Projetos vencedores ocuparão o Centro Carioca de Design, na Praça Tiradentes
 

O Instituto Rio Patrimônio da Humanidade (IRPH) abriu na quarta-feira (03/07)  as inscrições para o edital Pro Design 2013. Com um incentivo de R$ 700 mil, a Prefeitura do Rio contemplará projetos em categorias como exposições, workshops, seminários e publicações. Os vencedores vão apresentar seus projetos no Centro Carioca de Design (CCD), na Praça Tiradentes, no Centro.

 

 

 Os trabalhos inscritos devem ser ligados aos aspectos urbanos e apontar possíveis contribuições do design para a qualidade de vida de modo sustentável. Os grandes eventos que a cidade do Rio de Janeiro receberá nos próximos anos também são uma premissa do edital. Apenas pessoas jurídicas poderão participar.

 

As inscrições poderão ser feitas até o dia 19 de agostos. Os inscritos deverão estar aptos à elaboração e execução de projetos culturais na área de design. Produtoras culturais, escritórios de design e/ou arquitetura, agências de comunicação, associações privadas sem fins lucrativos, associações culturais, cooperativas culturais e de designers e editoras poderão participar. Cada proponente poderá inscrever até dois projetos, um em cada categoria.

 

O Pró-Design 2013 tem objetivo de movimentar e gerar conteúdo crítico sobre a inserção do design como ferramenta essencial para o desenvolvimento urbano e cultural da cidade do Rio de Janeiro. O edital pretende construir uma nova programação para fortalecer o Centro Carioca de Design, como a casa do design carioca e um espaço de criação e reflexão sobre temas culturais e urbanos.

 

Galeria D também será ocupada

 

Com o mesmo objetivo do Pro-Design 2013, o IRPH também lança o edital de ocupação da Galeria D – espaço do Centro Carioca de Design que será voltado para trabalhos e exposições de estudantes e recém-formados. Com um apoio financeiro de R$ 150 mil, o edital contemplará cinco projetos para serem apresentados neste espaço.

 

Os editais completos poderão ser acessados no site do IRPH. 


Primeira edição do Pró-Design ainda movimenta o CCD

 

O edital da primeira edição do Pró-Design foi lançado em 7 de novembro de 2011 e selecionou projetos culturais com o tema “Design e suas relações com a cidade: patrimônio cultural, sustentabilidade e criatividade”. A prefeitura destinou de forma inédita verba de R$ 700 mil para a seleção de 10 projetos em cinco diferentes categorias. Os selecionados começaram a ser executados em julho de 2012 e já foram realizados quatro exposições, um simpósio, um workshop e quatro publicações.

 

A exposição Novas Cartografias Cariocas, do escritório Campo AUD, apresentou o mapeamento da cidade como instrumento criativo de reconhecimento feito de maneira participativa. O Design da Favela, exposição da Diálogo Design, mostrou objetos de design intuitivo, espontâneo e criativo, estimulado pela falta de recursos. A mostra trouxe exemplos do design popular carioca – filho da necessidade e fruto da criatividade. Matéria Brasil na Rio +20, da Fibra Design, apresentou materiais e produtos nacionais de baixo impacto ambiental, focados no uso da inovação e do conhecimento em prol de um modo de vida mais equilibrado, repensando a biodiversidade e os recursos naturais.

 

O simpósio Cartografias Críticas, realizado pela Campo AUD, e o workshop Rietveld: Escola Aberta, da Projéteis Cooperativa Cultural, trouxeram experiências internacionais que foram discutidas e experimentadas pelos participantes. O simpósio discutiu experiência urbana, design e nova tecnologias, enquanto o workshop focou na recriação da escola de design holandesa Gerrit Rietvel Academie e no intercâmbio entre profissionais e estudantes do Brasil e da Holanda.

 

Quatro publicações também foram aprovadas e duas já foram publicadas. Ainda estão em elaboração: a exposição retrospectiva do artista Almir Mavignier, com curadoria de Daniela Name; e a publicação do Guia Rio Design 2013 e Conversas Ilustradas, com Sergio Rodrigues.

 

CENTRO CARIOCA DE DESIGN

 

O Centro Carioca de Design (CCD) integra a proposta de dinamizar o Patrimônio Histórico e Cultural com iniciativas ligadas à economia criativa, estimulando o pensamento urbano através do design. O espaço é um núcleo de discussão, exibição e pensamento do design carioca e conta com galerias de exposições e espaços integrados multiuso para conferências reuniões, oficinas e atividades diversas. O Centro Carioca de Design abriga, ainda, o Studio-X Rio – laboratório de pensamento sobre a cidade, uma parceria da Prefeitura com a Universidade de Columbia, de Nova York. O CCD funciona na casa onde a cantora lírica Bidu Sayão nasceu e viveu até os cinco anos. Restaurado em 2008, o imóvel recebeu o CCD e a inauguração, em março de 2010, fez parte do processo de revitalização da Praça Tiradentes.

 

Prefeitura do Rio

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.