Religiosos chegam de madrugada para participar da Santa Missa

Para o frei piauiense Marcos Vinicius de Oliveira, que vai se formar sacerdote daqui a 2 anos e meio, o papa Francisco é uma referência
 

Bispos, sacerdotes, religiosos e seminaristas formaram uma longa fila no portão da Catedral de São Sebastião, na área central da cidade, enquanto aguardavam o momento de participar da Santa Missa, primeiro compromisso de sábado (27) do papa Francisco na Jornada Mundial da Juventude (JMJ). A celebração começou às 9h.

 

Muitos chegaram durante a madrugada, mas a entrada só foi liberada a partir das 7h porque o sistema detector de metais ainda não estava montado. O padre argentino Pablo Ordoñe da Ordem Nossa Senhora das Mercedes era um dos primeiros da fila e disse que chegou às 3h30. Segundo ele, a jornada tem um dinamismo grande, permitindo o comparecimento de muita gente aos eventos, e destacou que participar de uma missa com o papa é um momento especial.

 

No entanto, o padre criticou a organização local. “Faltou um pouco de organização local em transporte e na mobilidade, na concentração e desconcentração das pessoas, mas está tudo bem. Todos [brasileiros] são muito cordiais e muito acolhedores e estou muito feliz por isto”, disse.

 

Para o frei piauiense Marcos Vinicius de Oliveira, que vai se formar sacerdote daqui a 2 anos e meio, o papa Francisco é uma referência. “Ele vem cada vez mais nos animar e reforçar a nossa opção por Jesus Cristo.”

 

O frei também aguardava no início da fila. Assim que os portões foram abertos, ele correu junto com os outros religiosos para garantir um bom lugar dentro da catedral. Às 11h30, após a celebração da Santa Missa, o papa Francisco terá um encontro com políticos, diplomatas, lideranças comunitárias, intelectuais, empresários, artistas e líderes das maiores comunidades religiosas do país, quando fará um discurso.

 

Governo do Rio

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.