Delegacia de Homicídios investiga morte de jovem de 17 anos no Complexo da Penha

Quando os policiais chegaram ao local, houve protesto por parte de moradores
 

A Delegacia de Homicídios concluiu na madrugada de hoje (14) a perícia do local onde um jovem de 17 anos foi encontrado morto, na comunidade Parque Proletário, no Complexo da Penha, na noite de ontem (13). Esse é mais um caso de violência em favelas com unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) no estado. A UPP da Penha foi inaugurada em agosto do ano passado.

 

 

De acordo com a assessoria de imprensa do Comando de Polícia Pacificadora, que coordena as UPPs do Rio de Janeiro, moradores chamaram a polícia por volta das 20h30, depois de encontrar o corpo de um jovem na laje de um prédio.

 

 

Quando os policiais chegaram ao local, houve protesto por parte de moradores. Três ônibus foram incendiados e um carro da UPP sofreu danos. Tiros foram disparados do alto da comunidade e a Polícia Militar informou que os policiais não revidaram.

 

 

Ainda segundo o Comando de Polícia Pacificadora, informações preliminares da perícia da DH mostram que não há sinais de violência ou perfurações por armas de fogo no corpo do jovem, no entanto, a causa da morte só deve ser determinada, após necropsia. O policiamento da comunidade está reforçado por policiais da UPP e do Batalhão da Polícia Militar de Olaria, onde se localiza a favela.

 

Agência Brasil

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.