Estado do Rio tem média de 18 novos professores por dia desde 2007

Índice referente aos últimos seis anos ajudou a diminuir déficit de docentes
 

Os números comprovam o crescente investimento do Governo do Estado nos professores da rede estadual. Dos cerca de 87 mil servidores aprovados em concursos no Rio de Janeiro desde 2007, aproximadamente 44 mil foram para a Secretaria de Educação. Destes, 37 mil já assumiram – uma média de 18 professores por dia. Apenas no mês passado, 796 aprovados foram convocados.

 

A carência de docentes na rede foi reduzida em 90% nos últimos dois anos. Em fevereiro de 2011, o déficit era de 11.773 professores e, agora, gira em torno de 900. Dos 796 chamados, 260 foram referentes ao concurso de 2009, com jornadas de 16 horas semanais. Os outros 536 pertenciam à seleção de 2009, com carga de 16 e 30 horas.

 

Para o próximo concurso, a previsão é de que sejam oferecidas mais de duas mil vagas. Além da tradicional prova objetiva, os candidatos terão exame discursivo. Os aprovados passarão por um curso de formação de 80 horas, em que aprenderão a utilizar tecnologias em sala de aula e aperfeiçoar a prática de ensino.

 

– A secretaria tem feito investimentos importantes para melhorar a formação e a condição de trabalho dos professores, tornando a carreira mais atrativa. Os novos métodos de seleção, que serão adotados já a partir deste novo concurso, têm como objetivo buscar professores cada vez mais capacitados – afirmou Antoine Lousao, superintendente de Desenvolvimento de Pessoas.

 

Além de ampliar o quadro de servidores, a secretaria vem criando uma série de ações e benefícios para valorizar os docentes e funcionários administrativos. Em junho, a categoria recebeu reajuste salarial de 8%, que se estendeu aos aposentados, pensionistas e servidores do Degase (Departamento Geral de Ações Socioeducativas).

 

Com isso, o salário inicial para professor de 30 horas semanais passou a ser de R$ 2.028,67. A remuneração dos docentes é constituída por vencimento-base, triênio por tempo de serviço e enquadramento por formação, além de 12% entre níveis da carreira a cada seis anos.

 

Pacote de benefícios

 

Além do reajuste, a Secretaria de Educação passou a conceder auxílio-transporte proporcional à carga trabalhada, cujos valores variam de R$ 57,66 a R$ 110,40 por mês, e auxílio-alimentação de R$ 160. Os professores regentes de turma ganharam auxílio-qualificação de R$ 500 para comprar bens pedagógicos-culturais e aqueles que fazem cursos de formação continuada com o Cederj recebem bolsa de R$ 300 de auxílio-formação.

 

Governo do Rio

0 comentários