Fim da espera por cirurgia para 25 pacientes no Hospital Estadual da Criança

Unidade inaugurada pelo Estado em março participou de mutirão nacional de cirurgias
 

operacao-infantilNesta sexta-feira (23), a recepção do Hospital Estadual da Criança estava cheia de pequenos pacientes e pais ansiosos. Todos à espera da tão aguardada cirurgia que dará fim a problemas como fimose e hérnia umbilical. Ao todo, 23 meninos e duas meninas foram selecionados para passar pelos procedimentos na unidade, como parte de mutirão nacional de cirurgias em crianças, neste sábado (24), organizado pela Associação Brasileira de Cirurgia Pediátrica. Esta é a primeira vez que o hospital, inaugurado em março de 2013, participa de um mutirão nacional. Para isso, foi selecionada equipe de dez médicos, comandada pelo cirurgião Francisco Nicanor, além dos profissionais de enfermagem.

 

– O Hospital Estadual da Criança já está sendo reconhecido fora do estado do Rio de Janeiro. Em cinco meses de inauguração, já vamos participar de um mutirão nacional. Nós realizamos desde cirurgias simples a transplantes e estamos mostrando nossa capacidade por meio de bons números e qualidade no atendimento- afirmou o cirurgião-geral Francisco Nicanor, chefe de cirurgia e urologia pediátrica do Hospital Estadual da Criança.

 

Uma vida inteira de espera – Distribuindo sorrisos, Marcelo Pires dos Santos, de apenas três anos, era só alegria quando chegou ao quarto onde ficará internado. Morador de Nova Iguaçu, Marcelo tem uma hernial inguinal e se livrará do problema no mutirão de cirurgias. A avó de criação, Bárbara Gualberto Correa, de 36 anos, conta que a espera durou dois anos, mais da metade do tempo de vida do neto e que já estava desanimando porque Marcelo passou por outras instituições, mas a cirurgia nunca era marcada.

 

– Quando cheguei ao Hospital da Criança, o médico disse que eu era uma mulher de sorte porque meu neto já seria operado na semana seguinte. Fiquei muito feliz por ter encontrado um lugar para ele fazer a cirurgia, com toda a estrutura que ele precisa. Eu fiquei encantada com este hosptal! Até foto eu tirei para mostrar aos vizinhos, eles não acreditariam se eu apenas contasse! – disse Bárbara.

 

– Apenas três meses da fila – Há também quem tenha esperado apenas três meses para a operação, o que comprova a eficiência e a capacidade de atendimento do Hospital Estadual da Criança. São os casos dos pequenos Isaque Nogueira e Beatriz da Silva Cardoso, ambos com cinco anos. Neiva dos Santos, mãe de Isaque, conta que o Posto de Saúde de Belford Roxo, município em que moram, deu entrada na cirurgia para a correção de fimose no final de maio e na primeira semana se agosto, Isaque foi chamado para consulta do Hospital Estadual da Criança.

 

– Meu filho havia sido internado com infecção urinária por causa da fimose. Precisava fazer logo a cirurgia, mas pensei que fosse esperar anos para isso. Foi bem rápido e é bom vê-lo sendo bem tratado aqui. O hospital é ótimo, nunca vi nada igual. – afirmou Neiva.

 

Sorridente e muito esperta, Beatriz diz não estar com medo da cirurgia. A mãe, Ludmila Correia, de 23 anos, revela que a filha que deu entrada há três meses, no município de Queimados, pelo procedimento que vai corrigir o aparelho genital da menina.

 

– Chamaram a minha filha para uma consulta no Hospital da Criança há duas semanas e na quarta-feira passada disseram que ela já faria a cirurgia. Fiquei surpresa com a rapidez e estou feliz com o que vi aqui. O hospital é muito bom. – disse Ludmila.

 

Um susto duplo – O pequeno Gustavo Madeira Veríssimo, de quatro anos, precisa corrigir uma fimose. Depois de tratamento no posto de Saúde em Austin e esperar três meses, foi chamado para consulta no Hospital da Criança. Quando chegou à unidade, a mãe, a dona de casa Cristiane Veríssimo, tomou outro susto. O menino também tem uma hérnia umbilical. Apesar da tensão, uma boa notícia: os problemas serão corrigidos no mutirão deste sábado.

 

– Ainda bem que descobrimos a hérnia logo e que ele vai sair daqui curado. A pediatra que cuidou do meu filho é excelente, assim como o hospital. Estou feliz – disse Cristiane.

 

O Hospital Estadual da Criança – Inaugurado no dia 4 de março desse ano, o Hospital Estadual da Criança é a primeira unidade do Rio de Janeiro voltada para atendimento pediátrico referenciado. O hospital realiza cirurgias de média e alta complexidade, além do tratamento do câncer, em crianças de zero a 19 anos. Com apenas cinco meses de funcionamento, o Hospital Estadual da Criança já realizou 670 procedimentos cirúrgicos. Em 28 de março, o hospital recebeu o credenciamento por parte do Sistema Nacional de Transplantes. A unidade conta com 58 leitos de enfermaria, 16 de UTI neonatal, 9 de UTI pediátrica e 8 poltronas de quimioterapia. Oferece exames de ultrassonografia, tomografia computadorizada, ecocardiografia e broncoscopia.

 

Gestão – Desde abril de 2012 a Secretaria de Estado de Saúde vem reorientando o modelo de gestão e atenção à saúde no Estado do Rio de Janeiro no intuito de melhorar a prestação dos serviços e a satisfação do usuário. A implementação dessa nova forma de administração tem como objetivos reduzir custo, melhorar a gestão e garantir um atendimento de qualidade à população. O Hospital Estadual da Criança foi viabilizado a partir de um contrato com a Rede D’Or São Luiz, que cedeu o prédio – onde antes funcionava o Hospital Rio de Janeiro – e passa a gerenciar o serviço público através da Organização Social com o Instituto D’Or de Gestão de Saúde Pública, fornecendo todos os recursos humanos e materiais necessários ao adequado funcionamento do hospital, dentro dos parâmetros e diretrizes estabelecidos pela Secretaria.

 

Governo do Rio

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.