Programa da FIA facilita a entrada de jovens no mercado de trabalho

Ação promove capacitação profissional de adolescentes e acompanhamento de estágio
 

images (1)

Jovens de 15 a 18 anos em situação de risco recebem da FIA (Fundação para a Infância e Adolescência) um importante incentivo para ingressar no mercado de trabalho. O Programa Trabalho Protegido na Adolescência (PTPA) promove capacitação profissional prioritariamente para adolescentes integrantes de famílias que recebem o Bolsa Família, aqueles em situação de abandono ou que tenham sofrido maus tratos. Também integram o público-alvo jovens que cumprem medidas socioeducativas ou que estejam realizando tratamento contra dependência química. 

 

 

O projeto oferece um curso de formação de cerca de três meses, que inclui reforço escolar, aulas de informática, noções de administração, ética, cidadania e meio ambiente. Depois de formados, os alunos são encaminhados para estágios remunerados em empresas parceiras da iniciativa, onde poderão permanecer até os 18 anos, com chances de efetivação. 

 

 

Esse foi o caso de Thiogo Andrade, de 23 anos, que, após estagiar durante um ano na Emop (Empresa de Obras Públicas do Estado), tornou-se o primeiro  UFF (Universidade Federal Fluminense), Thiogo ocupa o cargo de assistente técnico da informação na Diretoria de Obras. 

 

 

“Cheguei aqui sem expectativa. Estagiei, ganhei noção de vida profissional e o trabalho de meio período me possibilitou estudar para o vestibular. Meu exemplo é um grande incentivo para os outros jovens”, disse o universitário, que concluiu, em 2006, o curso de formação promovido pela Fundação.

 

 

 

Parceria com 40 empresas públicas e privadas

Cerca de 800 adolescentes são beneficiados, anualmente, pelo programa estadual, que é oferecido em sete unidades da FIA. Atualmente, a ação conta com a parceria de 40 empresas, públicas e privadas. Para participar do programa, os jovens precisam estar matriculados e frequentando assiduamente a escola. 

 

 

“O horário do estágio não pode ser conflitante com o da escola. Também cobramos frequência e bom rendimento em sala de aula. Este programa oferece condições para que os alunos transformem suas vidas”, explicou a gerente do PTPA, Ana Lúcia Fernandes Pereira.

 

 

Aos 15 anos, Lucas de Oliveira iniciou este mês o curso de formação do programa da FIA de Santa Cruz. O jovem morador de Paciência não escondia a ansiedade em ingressar logo no estágio.

 

 

“Decidi me inscrever no PTPA porque quero começar a trabalhar e ajudar minha família. As aulas do curso estão ampliando muitos meus conhecimentos, principalmente em informática, que é a área em que sonho atuar”, disse Lucas.  

 

 

O direcionamento dos jovens para suas áreas de aptidão é uma das preocupações do programa. 

 

 

 

“Encaminhamos o adolescente para onde ele tenha chance de mostrar seu talento e se desenvolver profissionalmente. Isso beneficia tanto os jovens quanto as empresas”, explicou a diretora da unidade da FIA em Santa Cruz, Maria José Almeida. 

 

 

Passando por sua primeira experiência profissional Projeto da Emop, a estudante Rafaela achado, de 16 anos, destaca o crescimento pessoal adquirido.

 

 

“Desenvolvemos diversas competências, como o relacionamento interpessoal e o intercâmbio de conhecimento com todas as áreas da empresa”, afirmou a estudante. 

 

 

Estagiando na Diretoria de Administração e Finanças da Emop, Aline Cristina Pereira, 17 anos, encara com otimismo a oportunidade de realizar seu primeiro estágio. 

 

 

“Não tinha muitos objetivos quando entrei aqui. Hoje, sonho, tenho foco e planejo meu futuro “, disse Aline.

 

 

 

Núcleo de Imprensa do Governo do Estado do Rio de Janeiro

0 comentários