Cronograma de implantação do programa Delegacia Legal entra na reta final

Para a conclusão do projeto, restam 11 unidades distritais e seis especializadas
 

Com a entrega de duas unidades na última semana, o programa Delegacia Legal entrou na reta final. Após a inauguração da 153ª DP de Cantagalo, na Região Serrana, e da 81ª DP de Itaipu, em Niterói, falta pouco para o encerramento deste processo de reestruturação e modernização da área de Segurança Pública, em que serão investidos mais R$ 110 milhões.

 

 

 

Desde 2007, o Governo do Estado já destinou cerca de R$ 260 milhões para o desenvolvimento do programa, que, entre outras metas, oferece melhores condições de trabalho aos policiais e atendimento mais adequado ao público. Para a conclusão do projeto, obteve financiamento do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) no valor de R$ 157 milhões, e outro do Banco do Brasil de R$ 135 milhões, além de firmar convênios e parcerias pioneiras com prefeituras, com o Ministério da Justiça e com o Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro.

 

 

Neste período, o governo reformou ou construiu novos prédios de mais 46 delegacias e ergueu cinco novas cadeias públicas, o novo Instituto Médico-Legal Afrânio Peixoto, na Avenida Francisco Bicalho, e vários postos de Polícia Técnico-Científica no estado.

 

 

Desde sua criação, o programa já colocou 146 delegacias legais em operação.

 

 

Das obras que restam – serão 11 prédios que abrigarão 11 delegacias distritais e seis especializadas – cinco estão em andamento e as demais em fase de licitação.

 

 

“O projeto já foi finalizado nas regiões Centro-Sul Fluminense, Médio Paraíba, Norte e Noroeste Fluminense e em Niterói” afirmou César Campos, coordenador do grupo executivo do programa, vinculado à Secretaria de Obras.

 

 

Conexão com a central de dados da Polícia Civil

O projeto de mudança radical no perfil das antigas delegacias preconiza a reforma do antigo ou construção de um novo prédio, dotado de instalações internas arejadas e climatizadas, mobiliário com design moderno, serviços informatizados, interligação em rede com as demais unidades policiais e áreas da Segurança Pública, terceirização do atendimento, com o emprego de mão de obra universitária, e a eliminação das carceragens. As melhorias tornam o trabalho de investigação e registro de ocorrências mais rápido e eficaz.

 

 

“São intervenções que dão grande contribuição à política de segurança no nosso estado” disse o secretário de Obras, Hudson Braga.

 

 

 

Todas as unidades contam com computadores conectados à central de dados da Polícia Civil, além de impressoras, roteadores, scanner e câmeras. As delegacias também são compostas por setor de investigação, sala de escuta, salas de custódia, sala de repouso, sanitário para o público e adaptações para portadores de necessidades especiais.

 

GOVERNO DO RIO

0 comentários