Estado investe em formação para suprir demanda no setor turístico

Apenas este ano, Faetec disponibilizou 12.513 vagas para cursos na área
 

curso-de-culinariaNo restaurante cheio, Thiago dos Santos, de 20 anos, equilibra as bandejas e atende prontamente aos pedidos. Detalhista, Márcia Lima, de 46, arruma os lençóis e deixa a cama pronta para os próximos hóspedes. Eles bem que já poderiam estar no mercado de trabalho, mas são apenas dois exemplos de alunos que estão sendo treinados nos laboratórios da Faetec para suprir a demanda por mão de obra no setor turístico.

 

Diante dos grandes eventos que o Rio de Janeiro vai sediar, o Governo do Estado também tem investido na capacitação profissional e ampliado a oferta de oportunidades em cursos preparatórios. Apenas em 2013, a Faetec disponibilizou 12.513 vagas nas áreas de Turismo, Hospitalidade e Lazer. Cursos de camareira, garçom, cozinheiro, confeiteiro, recepcionista hoteleiro, agente de informações turísticas e línguas são alguns dos que são oferecidos gratuitamente.

 

Na Escola de Hotelaria do Cetep de Quintino, a geração de oportunidades aumentou mais de 700% nos últimos dois anos. O coordenador João Marcelo Coelho lembra que, quando assumiu a unidade, eram oferecidas 75 vagas em cursos que variam de 10 ou 20 semanas. Atualmente, são cerca de 615 divididas em três turnos. Mas não foi apenas o número de alunos que aumentou. O processo de aprendizado também foi reformulado com foco no mercado de trabalho e as empresas agora procuram a Faetec em busca de formandos. ” Eles aprendem fazendo, não é uma sala de aula tradicional com apenas teoria. No restaurante escola, o ex-aluno cozinha, serve e executa o que aprendeu em um estágio remunerado. Eles saem aptos a concorrer com alunos de instituições pagas. Algumas empresas já estão nos procurando para pedir indicações”,  afirmou o coordenador.

 

Ex-aluno do curso de garçom, Thiago dos Santos já notou como a capacitação na escola abre portas. Além de ter sido escolhido para estagiar no restaurante do campus, ele é constantemente convidado para trabalhar em eventos e festas em hotéis: “O curso aqui é meu diferencial porque é reconhecido. O restaurante daqui parece o de um hotel. Depois do curso de garçom, entrei nas aulas para cozinheiro, mas tive que trancar porque estava aparecendo muito trabalho. Agora pretendo continuar me aperfeiçoando e fazer inglês”,  planeja o garçom.

 

De olho no mercado

 

Vendo as notícias de que o mercado carece de mão de obra qualificada, a dona de casa Márcia Lima também decidiu se tornar o profissional que os hotéis tanto procuram. Moradora de Olaria, procurou o Cetep Mangueira para se matricular nos cursos de camareira e informática. Mas não pretende parar nos dois. “Passei 25 anos arrumando a minha casa e vim aprender uma profissão. Estou me sentindo útil. Minha autoestima melhorou e quero me aperfeiçoar ainda mais nada área, estudar inglês e outros cursos para trabalhar o quanto antes em um hotel”, conta a aluna.

 

A unidade da Mangueira forma cerca de 200 alunos por trimestre. Um dos próximos será o massoterapeuta José de Ribamar, de 55 anos. Integrante das turmas de agente de informações turísticas e inglês, ele sonha unir a profissão atual com turismo e aproveitar o bom momento no setor.

 

 

 Governo do Rio

 

0 comentários