Evento “O Poder Curativo da Água” reuniu mais de mil pessoas no Rio

Com a presença ilustre de Masaru Emoto, Ítalo Tachid e Tânia Alves, o evento reuniu pessoas que se interessam pela água e procuram saber mais a seu respeito
 

imagem_release_104671

No dia 8 de setembro, o Rio de Janeiro recebeu, de braços abertos, o evento “O Poder Curativo da Água”, que reuniu mais de mil pessoas e, que dentre seus vários estandes, que variavam desde a Igreja Messiânica, à Brahma Kumaris (entidade não governamental criada na Índia em, com o objetivo de promover valores humanos, morais e espirituais universais), Yoga e diferentes cristais, também contou com a presença de Tânia Alves, atriz e empresária holística, o médico especialista em medicina da longevidade, Ítalo Rachid e o pesquisador e Best Seller japonês, Masaru Emoto.

 

 

 

Emoto, que veio do Japão especialmente para o evento, ministrou uma palestra em que mostrou e apresentou seus trabalhos e estudos sobre a água. Segundo o especialista, quando dentro do útero, a criança é formada por cerca de 90% de água, e, com o passar do tempo – e da vida, – essa quantidade de água no corpo diminui, fazendo com que a necessidade de hidratação seja maior.
O pesquisador lembra que envelhecer é desidratar, ou seja, quanto mais a pessoa envelhece, mais difícil se torna para o corpo absorver a água que lhe é ingerida. Para evitar maiores problemas, uma dica dada pelo especialista é, em qualquer idade, beber água antes de sentir sede, pois, quando o indivíduo sente sede, é porque o corpo já está “gritando” por estar desidratado.

 

 

Emoto também tocou no assunto do aquecimento global, do excesso de população no mundo – que são dois fatores que fazem com que a natureza seja cada vez mais desgastada, – e de como a água ingerida pelas pessoas pode mexer na sua personalidade. De acordo com amostras de água de vários lugares do mundo, Emoto pode concretizar esse estudo. Á água ingerida por Russos e Alemães apresenta moléculas mais fortes, rígidas – que, não por coincidência, tem muito a ver com a personalidade desses povos. Já as águas do Brasil e do Japão, por exemplo, apresentam moléculas mais leves e macias, características comuns da população desses dois países.

 

Além do seu amor pela água, já que os estudos sobre esse bem natural já dura anos, Emoto falou que o que o motiva a continuar a fazer essas palestras e difundir o seu conhecimento é o nascimento do seu neto, já que o Best Seller japonês deseja deixar um mundo melhor para as próximas gerações.

 

 

O Dr. Ítalo Rachid, especialista em medicina da longevidade, também palestrante do evento, comentou sobre em 2030 a possibilidade real de as pessoas poderem viver até os 120 anos – e, no final do século, até os 150 ou 200 anos.

 

Rachid ressaltou a importância de fazer visitar médicas periódicas – assim como são feitas as revisões de carros. “Quando levam o carro pra fazer revisões, por exemplo, não quer dizer que ele tem algum problema ou está quebrado, ele é levado apenas para saber se está tudo bem. Isso devia ser feito com o corpo também” exalta. O Dr. diz que esse não é um erro das pessoas ou dos médicos, mas sim da forma como a nossa sociedade foi ensinada a lidar com as doenças. “Fomos ensinados a curar, não a prevenir”, comenta.

 

 

O médico comenta para que ter uma vida com qualidade e longevidade não exista “receita de bolo”, mas que todos sabem o que fazer para se manter saudáveis. Uma sugestão dada pelo médico é: viver de forma saudável pelos próximos dez anos, porque nesse meio tempo a biotecnologia vai desenvolver ainda mais recursos que ajudem ao ser humano a viver mais.

 

 

“O ser humano não morre de doenças, morre de ignorância. 90% das doenças da velhice são evitáveis, até o temido Alzheimer. Sabe-se que ele é causado por problemas nos neurônios, nas sinapses, por isso ficamos esquecidos – e muitas vezes a causa disso é a falta de hormônio e água, ou a desidratação,” diz Rachid.

 

 

Além das palestras, foi feito a cerimônia de energização da água – em que a água abençoada por todos presentes será jogada no rio Gandhi, – o toque dos gongos planetários, uma sessão de autógrafos com Masaru Emoto e comercializados 500 filtros de água exclusivos e limitados da Acqualive especialmente para o evento, que contou também com a presença dos proprietários e dos diretores da empresa dos filtros, Sidney Rodrigues, Mauro Mumbach e da empresária Aléxia Soáres, proprietária da Inspire Produções, responsável por trazer Emoto ao Brasil pela segunda vez.

 

 

TODA COMUNICAÇÃO

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.