Mão de obra feminina é destaque na floricultura fluminense

Mulheres ocupam cerca de 40% dos postos de trabalho no segmento econômico
 

O crescimento da floricultura no Estado do Rio nos últimos anos, além da expansão das áreas de plantio e diversificação da produção, revela uma tendência constatada em outros segmentos no país: o aumento de mão de obra feminina. Segundo o programa Florescer, da Secretaria de Agricultura, 40% do total de 18 mil vagas de emprego na área têm a participação de mulheres. O percentual é quase o dobro do registrado em todos os setores da agricultura.

 

Cerca de 570 mulheres trabalham na produção de flores e outras 2,7 mil, no restante da cadeia. A ampliação da produção, a profissionalização do setor e o aumento da oferta de produtos diferenciados, com agregação de valor e serviços para mercados de paisagismo e decoração, mudaram o perfil da mão de obra do segmento.

 

– O aumento é visível tanto nas áreas de produção quanto no mercado de ornamentação, com 80% do trabalho desempenhado por mulheres. São profissionais que migraram para a floricultura vislumbrando novas oportunidades – explicou a coordenadora do Florescer, Nazaré Dias.

 

O perfeccionismo é apontado como um dos fatores positivos para a atração de profissionais como Luciene Notaro, de 37 anos. Com a família, ela trabalha no plantio de bocas de leão, crisântemos e margaridas em Nova Friburgo. A produção mensal de Luciene é de quase 40 mil hastes de flores.

 

– Quero investir na ampliação das estruturas de produção e diversificar o mix, com variedades de maior valor agregado – afirmou Luciene.

 

Governo do Rio

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.