Secretaria de Cultura do Rio investe em produções cinematográficas

Programa de fomento tem o objetivo de posicionar a cidade como polo audiovisual
 

producoes-cinematograficasNove produções audiovisuais selecionadas para a mostra Première Brasil, do Festival do Rio 2013, vitrine mais importante do cinema brasileiro, receberam recursos do Governo do Estado. Os longas-metragens de ficção, documentários e curtas-metragens participaram de editais de fomento do setor audiovisual desenvolvidos pela Secretaria de Cultura. O investimento recebido pelas produções somou mais de R$ 1,7 milhão.

 

Entre os critérios de avaliação estão a qualidade artística do projeto, a viabilidade, o potencial de visibilidade de articulação das produções, além do vínculo cultural da obra com o Estado do Rio.

 

“O percurso em festivais e as premiações que diversos projetos alcançaram mostram como vem sendo desenvolvida a política de editais, os critérios de seleção e a maneira como valoriza a diversidade audiovisual do estado”, disse a superintendente do Audiovisual da Secretaria de Cultura, Julia Levy.

 

Todos os programas de fomento da Secretaria de Cultura têm o objetivo de fortalecer o setor para que o Estado do Rio se posicione como um polo audiovisual da América Latina.

 

Os apoios financeiros atendem as etapas de desenvolvimento de projetos, produção, complementação de produção e finalização das obras cinematográficas. Só no último programa de edital, lançado em 2012, o apoio financeiro da pasta estadual foi superior a R$ 7,5 milhões.

 

Obras fluminenses em destaque

 

Entre as obras selecionadas para a Première do festival, que começa na quinta-feira (26/9) e vai até a 10 de outubro, está o documentário Cidade de Deus – 10 anos depois, dos diretores Cavi Borges e Luciano Vidigal. O longa- metragem recebeu recursos no valor de R$ 200 mil do Programa de Editais do Audiovisual de 2012 para complementação de produção. A obra, que apresenta as transformações vividas pelos atores do filme Cidade de Deus, dirigido pelo cineasta Fernando Meirelles, teve orçamento de R$ 280 mil.

 

O recurso obtido por meio do edital da Secretaria de Cultura nos ajudou muito. Basicamente, 70% do nosso orçamento só foi possível por conta do edital” disse o produtor Cavi Borges.

 

O filme O Uivo da Gaita, dirigido por Bruno Safadi, também foi contemplado com recursos no valor de R$ 200 mil.

 

“Usamos a verba na finalização do longa, que é uma etapa muito cara e crucial para que o produto final tenha qualidade. Estes editais do fomento são fundamentais para o cinema”, afirmou a produtora Rita Toledo.

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.