Corpo do presidente da ABI foi enterrado no Rio de Janeiro

Em nota, a ministra da Secretaria de Comunicação Social da Presidência, Helena Chagas, lamentou o falecimento do jornalista
 

Mauricio-AzedoA Associação de Imprensa da Barra da Tijuca-AIB, na figura do seu Presidente Manuel Lopes, diretoria, Jornalistas e associados lamenta a morte do presidente da Associação Brasileira de Imprensa, o jornalista Maurício Azêdo, e se solidariza com a Família e Associados da ABI,

 

O corpo do presidente da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), jornalista Maurício Azêdo, foi velado na manhã de sábado (26/10) na capela oito do Cemitério Memorial do Carmo, no Caju, na zona portuária do Rio de Janeiro. O corpo deixou a capela por volta das 16h para ser sepultado no Cemitério São Francisco Xavier, também no Caju.

 

 

Azêdo morreu sexta-feira (25), aos 79 anos, de insuficiência cardíaca, no Hospital Samaritano depois de ficar internado por duas semanas. Carioca, Oscar Maurício de Lima Azêdo nasceu em 1934 e se formou advogado pela Faculdade de Direito do Rio de Janeiro, mas foi no jornalismo que fez carreira.

 

 

Ele começou a trabalhar em jornais do Partido Comunista Brasileiro (PCB) e passou por grandes veículos da imprensa, como o Jornal do BrasilÚltima HoraO DiaO Estado de São Paulo e Folha de São Paulo. Azêdo estava na presidência da ABI desde 2004.

 

 

Em nota, a ministra da Secretaria de Comunicação Social da Presidência, Helena Chagas, lamentou o falecimento do jornalista. “Com grande pesar, recebemos a notícia do falecimento do colega Maurício Azêdo. À frente da entidade [ABI], Azêdo liderou incansável luta em defesa dos direitos humanos e da livre prática do jornalismo”, disse a ministra.

 

 

“Foi de grande relevo também sua atuação no Conselho de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana, sempre incansável e movido pelos mais altos ideais. Neste momento de tristeza, presto minha solidariedade aos familiares e amigos de Maurício Azêdo”, diz ainda o texto, divulgado na noite de ontem (25) pelo Blog do Planalto.

 

Agência Brasil

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.