Polícia apresenta suspeito de assassinar Rebeca

O acusado, que confessou o crime, pede perdão aos pais da menina
 

 

Assassino de Rebeca
Assassino de Rebeca Foto: Bruno Gonzalez / Agência O Globo
 

Na manhã desta sexta, dia 4 de outubro, a Divisão de Homicídios (DH) apresentou o assassino confesso da pequena Rebeca Miranda de Carvalho, de 9 anos, estuprada e morta no último sábado, dia 28 de setembro, na região da Cachopa, a menos de 100 metros da UPP da Rocinha. De acordo com site G1, o assassino pediu perdão aos pais da menina.

 

 

Elder Deywid, foi preso, na noite de quinta, dia 3, por policiais da DH na favela de Rio das Pedras, em Jacarepaguá. Ele foi localizado através do celular da vítima, rastreado pela polícia. Na delegacia, confirmou ter estuprado e assassinado a menina, que desapareceu na noite de sábado e teve o corpo encontrado com marcas de mordida e sinais de violência sexual num terreno baldio, na manhã seguinte.

 

 

O acusado de matar a menina, já tinha cometido o mesmo tipo de crime em Juazeiro do Norte, no Ceará. O caso ocorreu há cinco anos, quando Elder estuprou e matou uma criança de apenas 4 anos. Na época, ele tinha 17 anos e confessou o crime. Elder vive no Rio há apenas quatro meses, morava na Rocinha e trabalhava como jardineiro numa casa de família em São Conrado, próximo à favela.

 

 

O crime

O corpo de Rebeca foi encontrado em um terreno baldio, na localidade conhecida como Cachopa, na Rocinha, na manhã do último domingo. O local fica a cerca de 100m da sede da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da comunidade. A menina desapareceu na noite de sábado, enquanto participava de uma festa.

 

 

Rebeca estava debaixo de um monte de telhas. No local onde o corpo foi encontrado, agentes da Divisão de Homicídios (DH) recolheram uma sandália de adulto e um boné, que acreditam ser do autor do crime. Segundo uma testemunha, que também estava na festa, a menina foi abordada por um homem negro, aparentando ter entre 20 e 30 anos, que a ofereceu algo que parecia ser comida e a levou para fora do beco, a cerca de 20 metros de onde o corpo foi encontrado. Agentes da UPP encontraram o corpo da menina com as roupas íntimas abaixadas e sinais aparentes de estupro e estrangulamento.

 

 

Mente doentia

Para a comandante da UPP da Rocinha, a major Priscila Azevedo, o assassino possui uma mente doentia e planejou o crime.

– Esse é claramente um crime articulado. Foi tudo pensado antes de ser feito – afirmou a major.

 

 

Laudo

Segundo o exame de necrópsia feito pelo Instituto Médico Legal (IML), Rebecca, tinha diversas marcas de mordidas pelo corpo.

0 comentários