Grupamento Aeromóvel realiza treinamento para oficiais do Choque

Capacitação contou com aulas teóricas e práticas para integrantes do Batalhão
 

Treinamento-TecnicoO Batalhão de Choque da Polícia Militar está contando com conhecimentos técnicos do GAM (Grupamento Aeromóvel) para reforçar a segurança no estado. Esta semana, 17 alunos do Curso de Operações de Polícia de Choque foram instruídos por agentes do grupamento, com o objetivo de assegurar um bom desempenho durante situações de calamidade pública, distúrbios civis e grandes eventos.

 

Aulas teóricas e práticas de rapel tático, embarque e desembarque de aeronaves, técnicas de fast roap, o procedimento de entrada em prédios urbanos, estiveram entre as atividades do curso, que nesta edição recebeu, pela primeira vez, dois policiais estrangeiros para realizar o treinamento.

 

Segundo o sargento Carlos Renato Freitas, do Núcleo de Instruções Especializadas (Niesp) do GAM, o treinamento possibilita a precisão nas intervenções dos militares do Choque.

 

“O treinamento específico permite o uso preciso de nossas plataformas de observação, do transporte de tropa e do policiamento ostensivo aéreo”, afirmou Carlos Renato.

Capacitação atrai alunos estrangeiros

 

Desde o início do curso, os alunos receberam aulas de intervenção tática prisional, em Brasília, tiveram módulos especiais em parceria com as forças armadas da Aeronáutica e Exército e passaram por um estágio de proteção e segurança de autoridades. Este mês, os agentes trocaram experiências com policiais da Companhia Republicana de Segurança (CRS), força de choque francesa, especializada em controle de multidões.

 

“Com estes conhecimentos e com o uso das aeronaves do GAM, conseguimos dinamizar nossa mobilidade na prestação dos serviços, além de garantir a segurança durante as ações”, disse o tenente Wellington Moreira.

 

Os militares Fernando Cabrera e Pablo Romero desempenham, na Argentina, funções similares aos policiais do Batalhão de Choque.

 

“O curso é completo.Vamos levar experiências boas”, afirmou o capitão Fernando.

 

Governo do Rio

0 comentários